Citada pela agência AP, a rede social anunciou que suspendeu o fornecimento de ‘software’ para a Huawei enquanto analisa as sanções impostas pela administração de Donald Trump.

Recentemente, o Governo dos EUA proibiu as empresas norte-americanas de usarem equipamento da Huawei e ameaçou vários países europeus de deixar de partilhar informações militares e de segurança, se for autorizada tecnologia dessa empresa chinesa, alegando riscos de espionagem para o Governo de Pequim.

Apesar da decisão da rede social, os proprietários que já tenham ‘smartphones’ Huawei com a aplicação do Facebook podem continuar a utilizá-la, bem como a descarregar as suas atualizações.

Porém, o Facebook não esclareceu se quem comprar agora um dispositivo Huawei pode instalar as suas aplicações.

Na sequência do anúncio das sanções dos EUA, várias empresas distanciaram-se da Huawei, incluindo o Google, cujo sistema Android equipa a maioria dos ‘smartphones’ em todo o mundo.

Por enquanto, os países europeus não assumiram uma posição formal a favor da proibição de equipamentos Huawei nas redes 5G, embora alguns operadores, como a EE no Reino Unido, tenham anunciado que optarão por avançar sem equipamento chinês.

Presente em 170 países, a Huawei é suspeita de espiar para Pequim, que terá contribuído largamente para a expansão internacional da empresa chinesa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.