O vencedor, o professor de física Kok-Wai Cheah, da Universidade Batista de Hong Kong, criou uma técnica que permite endurecer as superfícies de vidro, aplicando uma película de safira sobre o ecrã para protegê-lo. O método pode ser usado em muitos produtos, mas o uso mais popular será nos ecrãs dos smartphones, que se riscam e partem com frequência.

Esta técnica poderia estender-se a outras superfícies de vidro, mesmo curvas, como relógios ou aparelhos de TV, segundo um comunicado do Salão de Invenções. O método aplica, a uma temperatura elevada, uma película de safira - um dos materiais mais duros do mundo - sobre a superfície de vidro. "Uma camada muito fina é suficiente para garantir uma proteção praticamente igual a um bloco de safira", diz o comunicado. A película "não prejudica a transparência, já que a transmissão óptica da película é muito próxima da do vidro, entre 89% e 92%". Este material, o ArmoGlass, é feito com uma camada de nano-materiais, e mais resistente e barato do que o vidro de safira usado atualmente em vários produtos.

O Salão Internacional de Invenções de Genebra premiou outras 45 invenções entre as melhores novidades apresentadas. Inaugurado na quarta-feira no centro de exposições de Genebra, o salão termina no domingo. Conhecido por ser o maior salão de invenções do mundo, é frequentado principalmente por profissionais e investidores em busca de novas ideias para a indústria e o comércio.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.