O mercado da energia está a mudar em Portugal. Uma indústria que, durante muitos anos, foi controlada por um conjunto pequenas empresas, permite agora a comercialização de mais produtos energéticos através de um mercado livre, que não só atrai mais fornecedores, como oferece mais soluções a famílias e empresas que necessitam deste tipo de serviços para os seus lares ou para a sua atividade económica, respetivamente.

A AXPO é uma multinacional suíça com mais de 100 anos que opera em Portugal desde 2009. Destaca-se pelo seu posicionamento e aposta na sustentabilidade e inovação das soluções energéticas para as PME. De acordo com Diego Gomez, Regional Manager da AXPO Portugal, a mudança para terras lusitanas deveu-se a “alguns clientes que chamamos de pan-europeus [e] que têm fábricas e instalações em diferentes países”. Antes de chegar a Portugal, a AXPO já operava em Espanha há perto de duas décadas, tendo atingido uma posição privilegiada no setor da energia, da biomassa, do gás e da comercialização de produtos energéticos.

O crescimento da empresa em Portugal - que já supera em número de clientes a vizinha Espanha - assenta numa proposta comercial personalizada, oferecendo soluções à medida para cada negócio. Na sua oferta, a multinacional conta com três tarifas para os seus produtos energéticos:

  • uma tarifa fixa, em que define com os seus clientes um preço fixo a pagar por um período de tempo determinado, independente das variações de preço de mercado e sem custos adicionais por consumo.
  • uma tarifa livre, em que o preço final definido com o cliente tem em conta as variações de preço que decorreram no mercado, durante um período de tempo.
  • uma Tarifa Livre Garantida, em que o cliente define um preço fixo e um preço indexado com a AXPO e que, no final do período de fornecimento negociado, escolhe o mais barato dos dois.

Contudo, a AXPO quer ir além da apresentação de tarifas aos clientes e deixar do seu lado a escolha. Segundo Diego Gomez, “não é por escolher um produto ou outro que o cliente vai ter um maior benefício. A mais valia que a AXPO dá aos clientes é recomendar que produto é o melhor em determinada altura”. Para exemplificar, utilizou uma situação ocorrida no ano passado, em que a energia atingiu preços muitos altos e em que muitos fornecedores recomendaram um preço fixo, para que os clientes não sofressem com ainda maiores aumentos, ao contrário da AXPO, que recomendou um preço indexado aos mercados porque acreditava que os preços desceriam naturalmente. Hoje em dia, os clientes da AXPO estão a tirar proveito de uma redução de preços para quase metade do registado em 2019, algo que não seria possível porque “pode passar de um preço indexado para um fixo, mas não pode passar de um fixo para um indexado”, como explica Gómez.

Este trabalho de aconselhamento e de partilha de conhecimento é outra das valências da AXPO, que quer ser um parceiro importante para os seus clientes num período em que vários negócios foram afetados pela pandemia da covid-19. E com resultados, diga-se.

“Nestes dois últimos meses, temos angariado mais clientes do que antes do coronavírus, porque dispomos de todas as ferramentas para que os clientes assinem contratos digitalmente, temos mantido reuniões via Skype e outras plataformas, e temos fechado uma série de negócios”, partilha o Regional Manager da AXPO Portugal.

A crise mundial despoletada pela Covid-19 evidencia as fragilidades das empresas e obriga a um repensar estratégico e operacional. Diego Gomez destaca a importância da adoção de medidas de eficiência energética “o investimento nestas medidas serve para otimizar o consumo energético, evitar desperdícios, redução de custos e uma maior rentabilidade”

Num período que colocou novos desafios às empresas, a AXPO não largou os seus valores fundamentais. Continua a manter a sua aposta nas energias renováveis, elaborando planos de investimento para que os clientes possam tirar proveito, por exemplo, da instalação de painéis solares nas suas fábricas. “As empresas estão mais suscetíveis aos investimentos por estarem a passar por mais dificuldades económicas do que antes da pandemia, e a AXPO, para ajudar estes clientes a continuar a investir, criou uma linha de crédito de apoio às empresas e está a financiar os clientes. O cliente quando assina um contrato [de painéis] fotovoltaico[s] com a Axpo, efetuamos todo o estudo e desenvolvimento no projeto a ser apresentado ao cliente, por fim instalamos e o cliente começa a aproveitar a redução de consumo, começando a amortizar apenas em 2021”, conta Diego Gómez.

Um dos casos de sucesso da marca por cá é a DanCake. Há cerca de pouco mais de três anos tornou-se um dos primeiros clientes da AXPO Portugal e, ao seguir as recomendações de preço indexado, foi capaz de atingir, nos últimos meses, níveis de poupança de energia nas suas fábricas na ordem dos 20 a 30%, graças à redução do preço da energia provocada pela pandemia. Mas, para Diego Gomez, “o grande sucesso da AXPO é estar presente no mercado português há cinco anos e ter atingido uma quota de mercado no segmento industrial onde é atualmente o quinto maior fornecedor de Portugal. Se atingimos isso em cinco anos e a taxa de fidelização dos nossos clientes está acima dos 95%, é porque estamos a fazer alguma coisa bem”.

Três dicas para as empresas melhorarem o seu consumo energético

  • Conhecerem o seu consumo

É muito importante que as empresas tenham conhecimento do seu perfil de consumo. Através de um diagnóstico e auditorias, os assessores energéticos da AXPO ajudam as empresas na identificação dos processos onde existem desperdícios energéticos. Estes outputs, depois de trabalhados, ajudam na otimização do consumo e na diminuição dos custos. A AXPO disponibiliza ainda um sistema de monitorização de consumos que recolhe informação útil ao plano de intervenção e consequente poupança energética. “Permitimos aos nossos clientes que descarreguem os seus consumos na sua área de cliente, onde podem aceder à distribuição do seu consumo mesmo no dia anterior”, informa Diego Gomez.

  • Atenção ao preço da energia e duração do contrato de fornecimento

Na fatura de eletricidade, o timing é tudo. "A AXPO tem uma flexibilidade total, permite aos clientes contratar por três meses, quatro meses, 12 meses, 24 meses, 36 meses", numa "gestão ativa" que permite recomendar aos seus clientes "que tipo de produto devem contratar e conseguir que tenham um preço o mais barato possível", de acordo com o manager da marca em Portugal.

  • Poupar onde é possível

Na AXPO, o mote é que “o quilowatt mais barato é aquele que não se consome”. Portanto, é importante para as empresas encontrarem formas de ter um consumo mais eficiente de energia nas suas diferentes operações. É nessa área que a experiência, formação e conhecimento dos diferentes colaboradores da AXPO pode ser útil, nomeadamente através de auditorias energéticas, substituição das luminárias por LEDS, instalação de painéis fotovoltaicos, a atenção às penalizações da energia reativa e a eliminação de custos adicionais que o cliente não deveria pagar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.