Os editores em língua inglesa da Wikipédia foram a votos e a decisão foi unânime: é proibido utilizar Daily Mail como fonte para a informação que se encontre disponível na enciclopédia online. Razão para esta tomada de decisão? Consideram que o tabloide tem a reputação de "não confirmar factos" e de ser uma publicação "sensacionalista".

A justificação pode ser encontrada numa declaração publicada na própria Wikipédia. Os editores alegam que a "reputação do jornal tem uma verificação insuficiente de factos, sensacionalismo e produção acelerada".

Mas este não foi o único meio utilizado para comunicar esta decisão editorial. Ao The Guardian, a fundação responsável pelo Wikipédia, a Wikimedia, divulgou um comunicado em que expõem as mesmas razões que levaram à decisão.

"Os colaboradores da versão em inglês da Wikipédia decidiram que o Daily Mail é pouco credível. E, por isso, a sua utilização como fonte deve ser proibida em geral".

Sumariamente, de acordo com um editor que participou na condução do processo: "O consenso determinou que o Daily Mail (incluindo sua versão online dailymail.co.uk) geralmente não é confiável, e o seu uso como referência é proibido, especialmente quando existem outras fontes mais credíveis. Como resultado, o Daily Mail não deve ser utilizado para determinar a notabilidade, nem deve ser usado como uma fonte na construção de artigos. Um filtro de edição vai ser implementado para alertar os editores que tentem utilizar o Daily Mail como referência."

O Daily Mail é a segunda publicação mais vendida no Reino Unido e o seu site é um dos mais visitados do mundo, com 24,5 milhões de visitas mensais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.