Boca do Lobo volta a abrir-se, de 30 de agosto a 10 de outubro, no Lux.

A discoteca em Santa Apolónia abre as portas à pianista Joana Gama, para marcar o regresso, às 19h30, sendo que as portas abrem às 18h00. Joana Gama traz música de Erik Satie, John Cage, Marco Franco, Vítor Rua e Arvo Pärt num concerto a solo.

No regresso, e em quatro datas, o Lux Frágil quer "continuar a pisar e transgredir a fronteira entre a música clássica e tudo o resto".

A 11 de setembro, a discoteca junto ao Tejo recebe a harpista espanhola Angélica Salvi, que se dedica à improvisação e música contemporânea e eletroacústica. Segue-se o guitarrista português Pedro Branco no dia  25 de setembro.

A fechar, dia 11 de outubro, é a vez de Helena Silva,

É necessário reservar bilhete. Para isso, pode comprar a partir de 5ª feira e até ao dia do espectáculo nas bilheteiras do Lux, abertas das 17h00 às 20h00, contactar via lux@luxfragil.com ou 21 882 08 90.

É obrigatório o uso de máscara antes, durante e depois do concerto. A ocupação dos lugares autorizados em cada fila vai fazer-se por ordem de chegada, sendo assegurada a distância de dois metros entre cada cadeira ou conjunto de duas cadeiras ocupadas.

Para o LuxFrágil, a Boca do Lobo existe "porque a arte não pode estar viva se não for guiada pela descoberta e não pode ser real se não oferecer um lugar para cada pessoa". Assim, "trazer música clássica para o LuxFrágil não é apenas uma questão de transpor a orquestra para a pista de dança. É inspirar novos significados e fazer da música caminho para pensar e sentir para além do quotidiano. É um acto de investimento nos sentidos, no repertório, no indivíduo e na comunidade".

A Boca do Lobo tem curadoria de Martim Sousa Tavares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.