Os leitores são convidados a escolher entre 119 títulos selecionados, divididos em Ficção Lusófona, Ficção de Autores Estrangeiros e Melhor Reedição de Obras Essenciais da Literatura Lusófona ou Universal.

Em comunicado, a rede livreira esclarece que o prémio, em cada categoria, "distinguirá uma obra em prosa, seja romance, conto ou novela, editada no nosso país ao longo do último ano [2017]", sendo o júri "composto por todos os livreiros da rede Bertrand, que desempenham um papel fundamental na promoção diária do livro e da leitura, e pelos leitores, oferecendo-lhes a oportunidade de distinguir os livros que mais os marcaram em cada ano".

Segundo a mesma fonte, a rede livreira endereçou um "convite pessoal", por via eletrónica, a todos os leitores detentores do cartão Bertrand, cerca de 836.000, e aos livreiros Bertrand, que "poderão votar no seu livro preferido a partir da pré-seleção de 119 livros publicados ao longo dos últimos 12 meses" e que estão disponíveis aqui.

As obras foram selecionadas pela Livraria Bertrand, que contou com o contributo dos jornalistas Isabel Coutinho, Marco Alves e Maria João Costa, tendo cada um deles escolhido cinco títulos.

"Em meados de março, será divulgada a lista dos quinze livros finalistas, cinco de cada categoria, selecionados pelos leitores e livreiros - que serão, novamente, convidados a votar no seu preferido, em cada uma das categorias, e, em abril, será divulgado o vencedor de cada categoria do Prémio Livro do Ano", disse à Lusa fonte da rede de livrarias.

Cada obra vencedora terá "reservado um lugar de destaque nas livrarias Bertrand, em especial ao longo do ano de 2018".

No ano passado, o livro vencedor foi o romance "História da Menina Perdida", de Elena Ferrante, publicado em 2016 pela Relógio d'Água.

A Bertrand é a maior rede portuguesa de livrarias, com 50 balcões distribuídos em todo o país, continente e ilhas, e uma superfície comercial atual que ultrapassa os 11.000 metros quadrados, segundo fonte da empresa. Tem ainda uma livraria 'online' que disponibiliza mais de oito milhões de referências entre livros em português, inglês, francês e espanhol.

A primeira livraria Bertrand foi fundada em 1732, por Pedro Faure, na rua Direita do Loreto, em Lisboa, e mantém-se desde a segunda metade do século XVIII nos n.ºs 73-75 da rua Garrett, no Chiado, também na capital, para onde se transferiu após o terramoto de 1755.

O Guinness World Records reconhece a Livraria Bertrand, no Chiado, como a mais antiga do mundo em funcionamento.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.