Brigitte Bardot, que defende os direitos dos animais há 40 anos, vai publicar, no dia 25 de janeiro, o livro onde apresenta "o balanço da sua existência, da sua luta pelos animais e a confissão profunda do seu desgosto", anunciou à AFP.

"Será o balanço da minha existência. Vai chamar-se 'Lágrimas de Combate' e nunca vou escrever outros livros. Será o balanço total da minha visão das coisas, da sociedade, da forma como fomos governados, da maneira como se tratam os animais no meu país”, declarou.

A editora Plon apresenta a obra como "um testamento animal", ao afirmar que se trata de "uma reflexão inédita, serena e rebelde sobre sua existência e o sentido do seu combate".

Numa crónica escrita no jornal Le Parisien, Brigitte Bardot dirige-se ao presidente Emmanuel Macron para lhe dizer que "está farta" que a causa animal seja colocada em segundo plano e acusa-o de não ter "qualquer compaixão para com os animais e a natureza".

A estrela de cinema, hoje com 83 anos, vive em Saint-Tropez e o seu último livro, publicado em 2003, com o título “Um grito no silêncio”, causou polémica por conter declarações que incitam ao ódio racial — Brigitte Bardot foi condenada ao pagamento de uma multa de cinco mil euros pelas declarações escritas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.