“École des Maîtres”, que junta 16 jovens atores e atrizes de quatro países (França, Portugal, Itália e Bélgica), é este ano orientado pelo encenador e dramaturgo Tiago Rodrigues, sendo o resultado do projeto internacional a peça "Perigo Feliz", que é apresentada em Coimbra, a 13 de setembro, informou hoje o TAGV, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Depois da passagem pelo teatro de Coimbra, o espetáculo é ainda apresentado no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, a 16 de setembro.

De acordo com o diretor do TAGV, Fernando Matos de Oliveira, "Perigo Feliz" é um trabalho de pesquisa e reflexão que aborda uma "Europa atravessada pelas dinâmicas das migrações e dos refugiados e dos problemas políticos que se colocam hoje numa série de países".

Para o arranque desta nova temporada do teatro, Fernando Matos de Oliveira destaca também a continuidade na programação em torno da área da performance, com a rubrica mensal "Performance, Agora!".

Nesse sentido, o diretor do TAGV sublinha o foco na carreira e trajeto de Manoel Barbosa, artista com "um papel importante na área da performance" em Portugal, sendo que, a 06 de outubro, haverá uma entrevista assistida com o artista, um colóquio e uma performance com a participação de Manoel Barbosa e música dos Telectu (Vítor Rua e António Duarte).

Durante os primeiros quatro meses da nova temporada, o teatro de Coimbra mantém também a sua aposta na programação de cinema, continuando com os ciclos "Cinema à Segunda" e "Cinema em Família", juntando a estes um outro - "Cinema Falado" – de sessões onde, para além de exibição de películas, haverá também debate e reflexão sobre diferentes aspetos da sétima arte, referiu.

Pelo TAGV, passa também a nova criação de Elmano Sancho, "A Última Estação" (12 de outubro), a antestreia do filme "Pedro e Inês", de António Ferreira (14 de outubro), a Festa do Cinema Francês (entre 16 e 21 de outubro), um concerto dos X-Wife e Wipeout Beat (26 de outubro), o acolhimento do festival de artes performativas Linha de Fuga, em novembro, ou a apresentação da adaptação para teatro de João Garcia Miguel da obra "A Casa de Bernarda Alba", de Federico García Lorca (22 de novembro).

Para Fernando Matos de Oliveira, o arranque da nova temporada representa "um trabalho de continuidade e aprofundamento" daquilo que tem sido feito no TAGV nos últimos anos, nomeadamente na aposta e reflexão em torno das artes performativas contemporâneas.

Para além da programação, o TAGV pretende editar até ao final do ano seis livros de dramaturgia, num projeto apoio e financiado pela Direção-Geral das Artes, adiantou.

Para 2019, o diretor do teatro sublinha o objetivo de ampliar a capacidade de ação do TAGV "e de avançar com projetos com outra ambição".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.