Foi através de um relato publicado na rede social Instagram que a ex-supermodelo revelou os motivos do seu afastamento do mundo da moda. Linda Evangelista submeteu-se, há cinco anos, a um procedimento estético que a deixou "brutalmente desfigurada”.

“Aos meus seguidores que se perguntam por que não tenho trabalhado enquanto as carreiras dos meus colegas têm prosperado, a razão é que fiquei brutalmente desfigurada pelo procedimento CoolSculpting da Zeltiq, que fez o contrário do que prometia”, conta na publicação.

A canadiana, de 56 anos, submeteu-se a um tratamento cosmético para eliminar a gordura localizada, mas, ao contrário do esperado, a intervenção terá aumentado as células gordas – um efeito secundário raro chamado hiperplasia adiposa paradoxal (HAP).

“Aumentou, em vez de diminuir, as minhas células gordas e deixou-me permanentemente desfigurada, mesmo após duas dolorosas cirurgias corretivas. Deixaram-me, como os media descreveram, ‘irreconhecível’.”

“A HAP não só destruiu o meu sustento, como me atirou para um ciclo de depressão profunda, tristeza profunda (...). No processo, tornei-me uma reclusa”, acrescenta.

Segundo a Reuters, a ex-supermodelo avançou com um processo judicial e acusa a empresa de cosmética de negligência e publicidade enganosa, alegando que esta não avisa os clientes dos possíveis efeitos secundários, pedindo agora uma indemnização milhões de dólares (42,7 milhões de euros) em danos por perda de rendimentos e angústia emocional.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.