PNa Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, o poema “A Tabacaria”, escrito há 90 anos pelo heterónimo de Pessoa Álvaro de Campos, vai estar no centro das celebrações do Dia Mundial da Poesia.

O ator António Fonseca protagoniza a sessão “Tabacaria/Tabakaria — Um poema com 90 anos”, tendo juntado várias pessoas para fazerem leituras em conjunto e em voz alta, em português e em crioulo de Cabo Verde, para assinalarem simultaneamente o dia da poesia e o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Social.

O Centro Cultural de Belém, também em Lisboa, vai assinalar este dia — que só celebra no dia 24 – com sete programas e intervenções dedicados à obra de Natália Correia, entre a qual “Natália Correia, Deputada Parlamentar”, “Vida na Poesia e Poesia na Vida: Origens Açorianas de Natália Correia”, “1968-1974. Natália Correia Superstar?”, “A diversidade criativa”, “Natália Correia, a rebelde” e “À conversa com amigos de Natália”, cruzando depoimentos de Cruzeiro Seixas, Manuel Murteira, António Valdemar e António Victorino de Almeida.

O Museu da Música será palco de um ciclo de conferências ilustradas por leitura de poemas, intitulado “Poesia no Museu [da Música]” e organizado por Helena Miranda e Tomás castro, com nove sessões previstas.

Outra das iniciativas previstas para este dia é o lançamento de um disco inédito de David Mourão-Ferreira, a inaugurar um coleção de CD, que revisita e renova a discografia editada no século XX, com poetas a lerem os seus poemas.

Esta nova coleção — que vai lançar um CD por mês até ao final do ano – recupera a série “Diz Poemas da Sua Autoria”, que publicou, entre outros, David Mourão-Ferreira, Alexandre O’Neill, António Gedeão, Sophia de Mello Breyner Andresen, Jorge de Sena e Natália Correia, e inclui dois novos poetas: Golgona Anghel e Nuno Moura.

No jardim da Parada, em Lisboa, será inaugurada a Feira do Livro da Poesia, sob o tema “De Pessoa a Llansol”, uma iniciativa organizada pela Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Casa Fernando Pessoa, Livraria Ler e Espaço Llansol, que decorre até dia 25.

A Feira do Livro de Poesia permite, além da compra de livros, assistir e participar em várias atividades para toda a família, como oficinas de leitura, música ao vivo, recital de piano, exposições, palestras, leituras encenadas e anda espetáculos para bebés.

No âmbito desta iniciativa, será ainda possível fazer uma visita guiada ao novo Espaço Llansol, que apresenta a vida e a obra de Maria Gabriela Llansol, através da obra, incluindo textos inéditos, e objetos do espólio da escritora.

O Dia Mundial da Poesia vai ser assinalado em Loures com a entrega do Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho 2017/2018 na modalidade de jovens talentos de poesia.

No centro histórico de Oeiras, vai decorrer uma maratona de poesia, com mini-tertúlias, a decorrer em diversos espaços públicos, tendo por objetivo comemorar o dia da poesia, mas também o dia da árvore e da floresta e o início da primavera.

Em Vila Franca de Xira, o dia vai ser assinalado com um sarau poético “Poetas de Vila Franca dizem Poesia”, a decorrer à noite na junta de freguesia.

Em Odemira, decorre desde dia 10 a iniciativa “Mês da Poesia”, dinamizada pela Biblioteca Municipal José Saramago e pela Associação Cultural CAIS, com sessões de leitura que abordam diversos estilos e estéticas, através da escolha de diferentes poetas e poemas portugueses.

A próxima, e última, sessão decorre no dia 23, na sede da junta de freguesia de Vila Nova de Milfontes, acompanhada da apresentação do livro “Rimas das minhas insónias”, da autoria de Noémia Urbano Pinheiro.

As comemorações do dia da poesia passam também por Pinhel, onde haverá um recital itinerante que inclui a declamação de composições poéticas pelas ruas, pelos comércios, serviços e instituições da cidade.

A iniciativa termina em frente ao edifício da Câmara Municipal de Pinhel, com um “Estendal Poético”, no qual serão colocadas peças de roupa com os poemas declamados ao longo do dia.

O município de Viana do Alentejo vai comemorar o dia com um sarau de poesia e música, que conta com a participação estudantes, a cantar e declamar poesia, e com a distribuição de sacos de papel ornamentados com poesias escritas pelos alunos das escolas.

“Silves — um poema por dia, nem sabe o bem que lhe fazia” é o nome da atividade que levará leituras de poemas a diversos espaços e edifícios públicos daquela cidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.