Duque e Duquesa de Sussex

Antes da cerimónia a casa real emitiu um comunicado informando que a rainha Isabel II de Inglaterra concedia o título de Duque de Sussex a Harry de Gales. Assim, ditava a monarca, "o príncipe Harry torna-se Sua Alteza Real o duque e de Sussex e Meghan Markle tornar-se-á pelo seu casamento Sua Alteza Real a duquesa de Sussex".

Desta forma, Meghan nunca será princesa.

O vestido

Meghan Markle usou um vestido da estilista britânica Clare Waight Keller, diretora artística da casa de alta-costura francesa Givenchy, com um véu decorado com flores bordadas à mão, representando um exemplar da flora de cada um dos 53 países membros da Commonwealth.

A noiva usou também uma tiara de diamantes, emprestada pela rainha Isabel II, que a herdou da rainha Maria, coroada com o marido, o rei Jorge V, em 1911.

As flores

bouquet de flores levado por Meghan Markle foi criado pela florista Philippa Craddock com flores escolhidas uma a uma por Harry, na sexta-feira anterior, no jardim privado do Palácio de Kensington. Entre as várias flores, como jasmin ou lírio-do-vale, estavam miosótis (as preferidas de Diana).

O lugar de Diana

Se reparou com atenção, havia um lugar vazio do lado direito do Príncipe William no interior da Capela de St. George. Depois de muito comentado online, a imprensa britânica explicou o seu significado. Esta foi a forma escolhida por Harry e Meghan para homenagear Diana, a princesa falecida em Paris, no túnel da Alma, a 31 de agosto de 1997.

William, o filho mais velho de Diana e padrinho de casamento de Harry, sentou-se na primeira fila, com o pai, o Príncipe Carlos, à esquerda, e a cadeira vazia à direita.

O "poder do amor"

A cerimónia na capela gótica de St. George, integrou aspetos inéditos num casamento real britânico, como o sermão do reverendo afro-americano Michael Curry, escolhido pelo casal.

Curry, líder da Igreja Episcopal norte-americana, citou Martin Luther King sobre “o poder redentor do amor” e deu a sua bênção ao casal afirmando: “Se a Humanidade alguma vez capturar a energia do amor, será a segunda vez que descobriu o fogo”.

O reverendo referiu-se também à escravatura, para sublinhar o poder do amor nos cânticos dos escravos.

"Stand by Me" e um coro gospel

O sermão foi seguido da interpretação do clássico “Stand by Me”, do cantor norte-americano Bem E. King, por um coro de Gospel afro-americano.

De acordo com o The Guardian, a ideia terá sido do príncipe Carlos.

Quebras de protocolo

A cerimónia ficou marcada por várias quebras do protocolo, provando que este é um casal moderno e o casamento fica definitivamente para a história da família real britânica.

O primeiro logo na chegada de Meghan à capela: sozinha. Recorde-se que o pai da norte-americana, depois de várias polémicas e problemas de saúde, anunciou que não estaria presente. Foi então príncipe Carlos, pai de Harry, quem acompanhou até ao altar sob o olhar emocionado do filho e da mãe da noiva.

Também nos votos, a diferença. Em inglês, os votos tradicionais para a mulher costumam citar "love, cherish and obey" (amar, cuidar e obedecer em português). Meghan, no entanto, omitiu a palavra obedecer dos votos e parou em "love and cherish" (amar e cuidar).

As mostras de afecto são pouco comuns entre a família real, mas algo que o casal já nos habitou desde o anúncio do namoro. Este sábado não foi excepção. Ao longo da cerimónia, Harry e Meghan deram as mãos várias vezes, mesmo quando não era necessário fazê-lo.

Elenco de 'Suits' entre os convidados

Entre os vários convidados — dos quais só não faziam parte figuras políticas — estava o elenco de 'Suits', série norte-americana, que ao longo de sete temporadas contracenou com Meghan Markle.

O encanto da princesa Charlotte

A filha de William e Kate Middleton foi um dos membros da família real que mais chamou à atenção. O sorriso desdentado da pequena princesa, quarta na linha de sucessão ao trono, encantou os presentes e fotógrafos.

À entrada e à saída da noiva da Capela de St George Charlotte fez ainda questão de cumprimentar todas as pessoas que se encontravam na rua à espera dos noivos.

Meghan parou os aviões

Escreve a Reuters que os controladores aéreos do aeroporto de Heathrow, um dos mais movimentados do mundo, decidiram fechar durante 15 minutos (entre as 11h45 e as 12h00) o espaço aéreo na zona de Windsor. Tudo aconteceu poucos minutos antes do início da cerimónia e aquando chegada de Meghan à Capela de St. George. A medida foi tomada para que o barulho dos aviões não interferisse com a chegada da noiva.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.