A decisão anunciada por Ellen DeGeneres acontece num momento em que o programa tem tido uma queda constante no número de audiência, após alegações de ex-funcionários e trabalhadores de que o "The Ellen DeGeneres Show" tem um ambiente de trabalho tóxico.

A apresentadora, escritora, produtora, atriz e comediante de 63 anos ganhou dezenas de prémios Emmy pelo programa e foi uma pioneira na comunidade LGBTQ+ nos Estados Unidos desde que se declarou gay em 1997.

A revelação, pouco comum na época e que fez por meio de sua personagem na sitcom que levava o seu nome, chocou os Estados Unidos e quase condenou a sua carreira.

Nesta quarta-feira, insistiu que a decisão não tem relação com as denúncias ocorridas no ano passado, que incluíram relatos de intimidação, discriminação racial e assédio sexual na produção do programa.

“Quando se é uma pessoa criativa, precisamos de ser constantemente desafiados. E por melhor que este programa seja, e por mais divertido que seja, já não é um desafio”, disse DeGeneres ao The Hollywood Reporter.

Quando surgiram relatos de funcionários que trabalhavam no programa, DeGeneres reconheceu que havia problemas e prometeu tomar medidas para corrigi-los.

"Isso quase afetou o programa", disse Ellen à publicação. "Foi muito doloroso para mim. Quero dizer, muito. Mas se eu estivesse a deixar o programa por isso, eu não teria voltado nesta temporada".

"O único que me importava era difundir a bondade e a compaixão e tudo o que defendia estava sendo atacado. Isso destruiu-me, sinceramente".

Algumas versões indicam que DeGeneres pensava, há vários anos, colocar um fim ao seu talk show.

Esta quinta-feira, outra estrela da televisão norte-americana, Oprah Winfrey, vai entrevistar Ellen para falar sobre esse final.

O último episódio está programado para a primavera de 2022.

DeGeneres foi coprodutora do seu programa e no ano passado faturou cerca de 84 milhões de dólares, em grande parte graças a ele. Números que fizeram de Ellen a décima segunda celebridade mais bem paga do mundo, segundo a revista Forbes.

"Definitivamente, as pessoas têm vindo a dizer: 'Por que não tentamos durar um pouco mais?' Mas 19 anos é muito tempo para fazer qualquer coisa", disse à Hollywood Reporter. "Não estou super sorridente todos os dias, mas a minha intenção nunca foi fazer mal a ninguém".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.