Segundo a organização, entre os dias 15 e 30 serão exibidos sete filmes, “sete histórias que derretem as fronteiras do continente e celebram a cidadania europeia”, e que poderão ser vistos na plataforma de ‘streaming’ www.jangada-vod.com.

Entre os sete filmes escolhidos está “Ramiro”, de Manuel Mozos, “uma ficção levemente biográfica sobre um alfarrabista e uma Lisboa que já só quase existem fora de tempo, como o realizador contou à agência Lusa, quando o filme se estreou nos cinemas, em 2018.

Nesta segunda edição do Europa 6.1 estará também a produção luso-francesa “A vida nos bosques”, de Alan Raoust, uma ficção sobre a adolescência, e “Histórias de hortas comunitárias”, de Yann Tonnar, que mostra como convivem várias comunidades em torno de um projeto local de hortas no sul do Luxemburgo.

O programa passará ainda pela Áustria, com a ficção “Macondo”, de Sudabeh Mortezai, pela Hungria, com a comédia “Brasileiros”, de Csaba Kiss e Gábor Rohonyi, pela Polónia, com “Fuga”, de Agnieszka Smoczynska, e pela República Checa, com “Karel, tu e eu”, de Bohdan Karásek.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.