"25 de Abril de 1974, quinta-feira" foi editado em novembro pela Tinta-da-China e apresentado na semana passada na Amadora, no contexto das celebrações dos 50 anos do 25 de Abril neste concelho, onde o fotógrafo Alfredo Cunha iniciou a carreira de fotojornalista, nos primeiros anos da década de 1970, como repórter do Notícias da Amadora.

O lançamento, a 31 de janeiro, na sede da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), em Lisboa, esteve integrado nas comemorações oficiais dos 50 anos do 25 de Abril.

Alfredo Cunha organizou "25 de Abril de 1974, quinta-feira" em três partes, a partir do seu trabalho fotográfico.

A primeira, intitulada “Da Guerra à Liberdade”, tem textos originais de Carlos de Matos Gomes; a segunda, que dá nome à obra, tem textos de Adelino Gomes. Por fim, “Depois de Abril” conta com a contribuição do historiador Fernando Rosas. O prefácio é de Luís Pedro Nunes.

As gravuras de Alexandre Farto/Vhils estão na capa e nos separadores do livro.

"25 de Abril de 1974, quinta-feira" é também uma exposição patente na Galeria Artur Bual - Casa Aprígio Gomes, na Amadora, inaugurada no passado sábado, com a exibição de um filme sobre as imagens do fotógrafo, sonorizado pelo músico Rodrigo Leão.

Alfredo Cunha nasceu em 1953, em Celorico da Beira, e em 1970 iniciou a carreira profissional em fotografia, colaborando, ao longo da carreira, com jornais como O Século, Público e Jornal de Notícias, entre outros.

Foi fotógrafo oficial dos presidentes da República Ramalho Eanes e Mário Soares, e recebeu a comenda da Ordem do Infante D. Henrique.

Em novembro, o Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira, inaugurou a exposição "Alfredo Cunha - Photographo", que acompanha os mais de 50 anos do seu percurso.

Patente até 11 de maio, esta a mostra está dividida nos núcleos "Revolução do 25 de Abril e Descolonização", "Mundo", "Portugal", "Conflito", "Religião" e "Retratos".

Alfredo Cunha tem publicado diversos livros de fotografia, entre os quais “Raízes da Nossa Força” (1972), “Naquele Tempo” (1995), “Cortina dos Dias” (2012), “Os Rapazes dos Tanques” (2014), “Retratos 1970-2018” (2018), “O Tempo das Mulheres” (2019) e “Leica Years” (2020).

Em 2022, a Imprensa Nacional lançou um livro intitulado "Ph.09 Alfredo Cunha" também sobre as cinco décadas de sua atividade fotográfica.

Alfredo Cunha é ainda um dos 28 artistas da exposição “Liberdade - Portugal, lugar de encontros”, que a UCCLA vai inaugurar a 8 de fevereiro, para assinalar os 50 anos de Abril, com seleção curatorial de João Pinharanda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.