Sobre a obra afirma a editora Assírio & Alvim, que se trata de “uma viagem pelos diferentes momentos da criação poética do autor”.

“Neste livro somos surpreendidos por imagens intensas, espelho da vulnerabilidade perante a dureza do mundo, uma poesia íntima que comove e perturba, com a maneira própria como são tratados os seus temas fundamentais: sagrado, criação, solidão, amor, fragilidade e violência”, acrescenta a editora.

Entretanto, do autor é publicado, pela Porto Editora, na quinta-feira, uma nova edição de “O paraíso são os outros”, a primeira totalmente ilustrada por Hugo Mãe, que também fez duas outras capas de obras suas nesta casa editorial.

“O paraíso são os outros” é uma observação sobre o amor e o relacionamento entre casais, do ponto de vista de uma menina.

“Esta obra escrita para os leitores mais jovens nasceu das observações de uma menina fascinada pelo amor e pelos seus segredos e que usa a imaginação para antever e descobrir o que é a felicidade”, afirma a editora.

O livro “O paraíso são os outros”, com ilustrações de Esgar Acelerado, foi publicado pela primeira vez em 2014, pela Porto Editora, em Portugal, e pela Cosac Naify, no Brasil, com trabalho gráfico do artista brasileiro Nino Cais.

"O paraíso são os outros" (oposto de uma célebre frase do filósofo francês Jean-Paul Sartre, "O inferno são os outros") é narrado por uma menina que se intriga com a forma como os adultos exteriorizam o amor.

"Reparo desde pequena que os adultos vivem muito em casais. (...) O amor constrói. Gostarmos de alguém, mesmo quando estamos parados durante o tempo de dormir, é como fazer prédios ou cozinhas para mesas de mil lugares. Mas amar é um trabalho bom. A minha mãe diz", escreve Valter Hugo Mãe, no começo deste conto.

Este mês, Valter Hugo Mãe, nascido em 1971, em Saurimo, no leste de Angola, participa, no dia 17, na iniciativa “Porto de Encontro”, no Teatro Nacional São João, no Porto, ao lado de Teresa Salgueiro, João Gesta, José Manuel Sá e De Turquoise.

No dia 22 à noite, o autor faz parte do elenco da 200.ª sessão das “Quintas de Leitura”, no Teatro do Campo Alegre, também no Porto, com Maria João Costa, Filipa Leal, Pedro Lamares, Márcia e Wolney Fernandes.

A obra de Valter Hugo Mãe está traduzida em várias línguas. O autor publicou sete romances, entre os quais “Homens imprudentemente poéticos”, “a máquina de fazer espanhóis”, que lhe valeu o Grande Prémio Portugal Telecom Melhor Livro do Ano e o Prémio Portugal Telecom Melhor Romance do Ano, em 2012, “o apocalipse dos trabalhadores”, “o remorso de baltazar serapião”, com o qual ganhou o Prémio Literário José Saramago, em 2007.

É também autor de “Contos de cães e maus lobos”, “O paraíso são os outros”, “As mais belas coisas do mundo” e “O rosto”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.