Na reabertura, prevista para 21 de outubro, o museu terá 3.600 metros quadrados de espaço para exposições adicionais, um terço a mais do que a área explorada até o momento (12.500 m2).

O projeto, que custa no total 400 milhões de dólares (quase 350 milhões de euros), visa não apenas adicionar galerias ao museu, mas também promover o diálogo entre as diferentes formas de artes visuais, pintura, arquitetura, escultura, fotografia ou design.

O MoMA também terá um novo local, o ‘The Studio’, para espetáculos e exibições ao vivo.

Outro objetivo é ligar a instituição à cidade, criando galerias localizadas no piso térreo e acessíveis gratuitamente.

O encerramento temporário do museu acontecerá no dia 15 de junho, quando todas as exposições temporárias da primavera serão concluídas, incluindo "Nascimento do Mundo", dedicado ao artista espanhol Juan Miró.

Esta renovação é uma prova da saúde financeira do MoMA, sustentada por várias doações colossais recebidas nos últimos anos, incluindo o envelope de 100 milhões de dólares oferecido pelo produtor americano David Geffen em 2016.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.