Na última temporada da Guerra dos Tronos , Jon Snow regressou dos mortos, Arya aprendeu a lidar com várias faces para continuar a sua “lista de vinganças” e Brandon, através dos seus poderes criou uma ligação especial com o Rei dos White Walkers. Jon Snow com a ajuda da sua irmã Sansa tornou-se Rei do Norte enquanto Cersei, para evitar ir a julgamento, explodiu com o palácio do High Sparrow, assassinando-o e matando também os irmãos Tyrell. Por causa disso, o filho de Cersei e rei de Westeros, Tommen, suicida-se e a mãe, causa de toda esta chacina, é coroada Rainha. Quanto à 'mãe de dragões' Daynerys Targaryen, após escapar dos Dothraki, fez uma aliança com os Irmãos Greyjoy e eliminou a ameaça dos Filhos da Harpa com a ajuda dos seus Dragões, decidindo finalmente ir em direção a King’s Landing com a ajuda de Varys e Tyrion Lannister.

Não percebeu nada? É nesta altura que só lhe podemos recomendar que comece tudo do princípio, temporada um, episódio um e teste se se irá ou não tornar mais um membro da legião de fãs GoT. Percebeu tudo porque não perdeu pitada até aqui? Então siga connosco.

Vamos então falar da sétima temporada. Começou com o que pode ser considerado o melhor momento deste primeiro episódio. Walter Frey aparece-nos a discursar num banquete servindo vinho a cada um dos seus convidados. Para os seguidores incondicionais da série - e não há outra forma de ser seguidor na realidade - está dado o primeiro sinal da inquietação viciante que torna a série inconfundível. Porquê? Bom, é o mesmo Walter Frey que, no último episódio da última tenporada, tinha morrido, de forma grotesca, às mãos de Arya Stark. A inquietação sobe de tom quando, a determinada altura, Frey recorda o “Red Wedding”, sim esse casamento sangrento de que todos já ouvimos falar, mesmo os que não comungam da religião Guerra dos Tronos. O casamento em que Catelyn Stark, Robb Stark e a sua mulher foram assassinados, numa das cenas mais marcantes de toda a série.

E é um Walter Frey aparentemente regressado dos mortos que discursa, o vinho corre, ele discursa e, ato contínuo, todos os convidados começam a cair ao chão, envenenados. Walter Frey está morto e bem morto. Walter Frey não é mais que Arya Stark que história já nos contou como se tornou uma perfeita assassina e com a 'qualidade' particular de conseguir assumir diferentes identidades - até dos mortos - sem que dela se suspeite.A cena termina como é timbre da Guerra dos Tronos com Arya caminhando entre os corpos caídos, envenenados, mortos e a vingança - mais uma - consumada.

E por onde anda Jon Snow que tanta tinta fez correr sobre a sua morte e ressurreição na última temporada? Jon e a irmã Sansa preparam um plano para se defenderem dos White Walkers não sem antes terem momentos de tensão sobre o que fazer com castelos de famílias que os tinham traído e sobre se Cersei não seria um perigo maior. É ele agora do Rei do Norte, mas as ameaças não diminuíram - até porque não diminuem nunca.

Avaliando apenas neste episódio o rumo dado a Cersei, um epicentro de ameaças da série, percebe-se como a rainha tresloucada se divide em convencer o amante e irmão Jaime de que está preparada para lidar com os inimigos que os rodeiam, ao mesmo tempo que procura uma nova aliança, desta vez  com Euron Greyjoy, novo Rei das Ilhas de Ferro, que lhe promete trazer “um presente” juntamente com a sua frota inteira se ela se casar com ele. Leitores dos livros de George RR Martin, já terão uma ideia de qual será este presente, aos restantes fica a recomendação anterior: é de ler ou de fazer rewind aos episódios anteriores para perceberem de que massa é feita esta gente. E no papel de um novo vilão desequilibrado e de excessos Euron promete não desiludir

Este primeiro episódio permitiu-nos ainda seguir a vida de Sam Tarly na Citadel, onde foi encarregue por Jon Snow de descobrir a melhor forma de derrotar os White Walkers. Não é uma vida agradável de viver, nem tão pouco de observar. Num espaço de segundos, é mostrada repetitivamente a rotina de Sam, e percebemos sem dificuldade que não tem a vida facilitada na tentativa de se tornar um Meistre. Além de alimentar e limpar os dejetos de doentes, Tarly também é responsável pela arrumação dos livros na biblioteca onde ganha um crescente interesse na secção reservada para os Meisters, lugar em que acredita estarem as respostas que precisa. E assistimos assim a uma cena que  evoca sem desprimor a kryptonite do Super-Homem quando num dos livros Tarly descobre que Dragonstone é a maior fonte de vidro de Dragão, o único material que permite destruir White Walkers.

E é exatamente em Dragonstone, que Daynerys aporta com a sua frota, depara-se com um castelo enorme onde Stannis Baratheon tinha estado instalado anteriormente e decide que é tempo de começar a preparar a ofensiva aos Lannisters. Podem os fãs esperar um pouco de romance a temperar tanta crueldade com o reencontro entre Daynerys e Jon Snow? Há mais seis episódios para o descobrir.

Além da cena inicial, o grande destaque deste episódio vai para a presença do cantor britânico Ed Sheeran, como um dos guardas Lannister que convidam Arya a partilhar uma refeição com eles, numa altura em que esta se dirige a King’s Landing.

Como é característico nos primeiros episódios de cada temporada, a história não avança muito e os fãs ficam a ansiar por mais. Contudo, esta temporada quer pelo seu tamanho reduzido (apenas 7 episódios) quer pelo que se antevê que aconteça no futuro, tem tudo para ser uma das mais memoráveis.

A Guerra dos Tronos será transmitida todas as segundas-feira, às 22h15 no SyFy.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.