O Mosteiro da Batalha, a Universidade de Coimbra, o Castelo de Leiria, os sítios pré-históricos de arte rupestre do Vale do Rio Côa e de Siega Verde, assim como outros imóveis classificados como monumento nacional, como a Igreja Matriz da Batalha, a Capela de S. Pedro e a Sé de Leiria, a Igreja Matriz de Vila Nova de Foz Côa, a Sé de Viseu, o Museu Grão Vasco e o Castelo de Pinhel são alguns palcos por onde vai passar o programa "O.P.(us) - Ópera no Património", que tem uma duração de três anos.

Numa nota de imprensa, o Município de Leiria afirma que são três ou quatro dias consecutivos de espetáculos em cada concelho nos principais monumentos das cidades.

O projeto visa a realização de um conjunto de eventos de cariz operático associados ao património, à cultura e aos bens culturais dos territórios de Leiria, Batalha, Viseu, Pinhel, Vila Nova de Foz Côa e Coimbra, num total de 91 espetáculos por ano, a realizar ainda este ano e em 2018 e 2019, refere a mesma nota.

Segundo a autarquia, integram a programação 18 obras "referenciais da história da música a partir de uma estrutura profissional que integra orquestra, coro, solistas, encontrando-se alinhado com uma estratégia regional que tem como objetivo contribuir para a preservação dos valores naturais e culturais, por via da sua conservação e valorização turística, enquanto fatores de competitividade e de desenvolvimento económico".

Com um investimento de 971.502 euros, o programa inclui residências artísticas, concerto operático na Universidade de Coimbra e residências artístico/pedagógicas, tendo associado animação que comporta conferências, roteiros turístico-culturais, visitas ao património e aos museus de cada município.

A iniciativa contempla ainda a realização de concertos pedagógicos para o público escolar de cada território, ascendendo este número a 55 concertos por ano.

Uma das ideias chave do "O.P.(us) - Ópera no património", que tem como mentor e programador o maestro José Ferreira Lobo, é a dinamização do património material, através da organização de espetáculos em imóveis ou locais de valor patrimonial extraordinário, seja arquitetónico, urbano ou natural, concedendo à obra musical uma dimensão cénica notável, lê-se na nota de imprensa.

O programa, que assume caráter de festival, abre hoje, na praça Sacadura Cabral, em Pinhel, e prossegue durante o fim de semana com diversos concertos nos principais monumentos desta cidade.

O evento prossegue em Vila Nova de Foz Côa, com uma Visitação ao Barbeiro de Sevilha, de Rossini, nos dias 31 de agosto e 01 de setembro.

Leiria é o palco seguinte, começando no dia 07 de setembro uma estada de quatro dias, seguindo-se Coimbra (dia 23 de setembro), Batalha (05 a 08 de outubro) e Viseu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.