A Feira do Livro Infantil de Bolonha criou em 2013 um prémio que reconhece o trabalho das mais inovadoras editoras de livros ilustrados para crianças e jovens, em diferentes áreas geográficas, tendo a Orfeu Negro sido distinguida como a melhor da Europa.

Fundada em 2007 e dedicada sobretudo ao ensaio, privilegiando as artes contemporâneas, da dança à fotografia, a Orfeu Negro criou em 2008 a coleção Orfeu Mini só dedicada ao livro ilustrado para os mais novos, e foi por esse trabalho literário que recebeu agora o prémio.

Este é um prémio não monetário, mas os vencedores são escolhidos pelas editoras que participam na feira de Bolonha, considerada a mais relevante na área da literatura e ilustração para a infância e juventude.

Para a fundadora da Orfeu Negro, Carla Oliveira, o prémio é um reconhecimento internacional para "uma editora de pormenores".

"É [um prémio] importante porque é um reconhecimento dos pares, somos nomeados pelos editores presentes na feira e é também importante, porque são onze anos da Orfeu Mini, a trabalhar na escolha de autores, a tratar os livros com amor", sublinhou.

A Feira do Livro Infantil de Bolonha criou em 2013 um prémio que reconhece o trabalho das mais inovadoras editoras de livros ilustrados para crianças e jovens, em diferentes áreas geográficas, tendo a Orfeu Negro sido distinguida como a melhor da Europa.

Fundada em 2007 e dedicada sobretudo ao ensaio, privilegiando as artes contemporâneas, da dança à fotografia, a Orfeu Negro criou em 2008 a coleção Orfeu Mini só dedicada ao livro ilustrado para os mais novos, e foi por esse trabalho literário que recebeu agora o prémio.

Em onze anos, a Orfeu Negro editou cerca de uma centena de livros ilustrados, a maioria de autores estrangeiros, com destaque para Oliver Jeffers, John Klassen, Davide Cali, Benjamin Chaud, Ana Pez, Manuel Marsol e Carson Ellis.

Há ainda alguns autores portugueses presentes no catálogo da Orfeu Negro, nomeadamente Catarina Sobral, Madalena Moniz, Carolina Celas e Mariana Malhão.

Carla Oliveira considera que a Orfeu Negro é "uma editora de pormenores", que edita livros com ilustração contemporânea e com um tipo de texto que não é um mero espelho da realidade, à luz de uma curadoria que se estende do plano editorial à venda livreira, com a livraria Baobá, em Lisboa.

O catálogo da Orfeu Mini foi inaugurado em 2009 com "O livro inclinado", de Peter Newell, e "Greve", de Catarina Sobral, de 2011, foi o primeiro título português da editora.

O livro ilustrado de maior sucesso da editora é "O incrível rapaz que comia livros", de Oliver Jeffers, que já vendeu cerca de 20 mil exemplares.

A 56.ª edição da feira de Bolonha decorrerá até quinta-feira. Este ano a Suíça é o país em destaque.

Em 2013, na primeira edição, o prémio de melhor editora da Europa foi atribuído à editora portuguesa Planeta Tangerina. A Pato Lógico esteve nomeada em 2016.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.