Os Prémios Goya distinguem todos os anos o que de melhor se faz no cinema espanhol. Este ano, porém, a cerimónia acabou por ser protagonizada por um facto inédito: o roubo das jóias que a marca espanhola Suárez tinha emprestado para uso dos participantes no evento.

As jóias roubadas estão avaliadas em 30 mil euros e do lote faziam parte um anel, botões de punho, brincos e relógios.

O roubo aconteceu dentro de um dos quartos do Hotel Marriott Auditorium que fica no mesmo edifício que o Centro de Congressos Príncipe Filipe, onde se realizou a 31º edição do Prémios Goya, nomeados pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Espanha.

Um porta-voz da polícia de Madrid disse que as jóias estavam guardadas em caixas e encontravam-se num pequeno quarto que dava para um camarim no qual "entrava e saía muita gente", principalmente funcionários ligados à organização do evento e à preparação dos participantes. Aparentemente, não havia nenhum dispositivo especial de vigilância no hotel.

O hotel afirmou num comunicado que só ficou a saber da existência das jóias na segunda-feira à tarde, quando os organizadores dos Goya comunicaram o seu desaparecimento."Em nenhum momento anterior foi comunicado ao hotel nem à segurança do mesmo a presença das jóias nas instalações", disse o Marriott Auditorium.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.