Noruega, Roménia, Sérvia, São Marino, Dinamarca, Rússia, Moldávia, Holanda, Austrália, Geórgia, Polónia, Malta, Hungria, Letónia, Suécia, Montenegro, Eslovénia e Ucrânia competem esta quinta-feira por um lugar na final.

Dos 18 países em competição, os dez com maior pontuação passam para a final, marcada para sábado.

A pontuação é decidida por televoto (com um peso de 50%) e por júris nacionais (outros 50%). Todos os júris dos países que competem na semifinal irão votar, bem como os júris de Alemanha, França e Itália.

As canções da Áustria, Estónia, Chipre, Lituânia, Israel, República Checa, Bulgária, Albânia, Finlândia e Irlanda foram as mais votadas na primeira mão das eliminatórias do Festival e já têm um lugar na final.

1 – Noruega

Intérprete: Alexander Rybak
Canção: "That's How You Write A Song"

A Noruega é o país que mais vezes ficou em último lugar, em 11 ocasiões, quatro das quais com zero pontos, mas já ergueu o troféu em 1985, 1995 e 2009.

Este ano, o país aposta em Alexandre Rybak, nascido em Minsk, na Bielorrússia. O cantor deu a última vitória à Noruega no Festival da Eurovisão, com a canção "Fairytale", e é um dos favoritos para ganhar a final de 12 de maio. Tal como em 2009, Rybak também é este ano autor da letra e da música.

2 – Roménia

Intérprete: The Humans
Canção: "Goodbye"

A primeira participação da Roménia no Festival da Eurovisão ocorreu em 1994. O país nunca venceu o concurso, tendo como melhor resultado um terceiro lugar, alcançado em 2005 e em 2010.

A canção deste ano, "Goodbye", será interpretada pela banda The Humans, composta por seis elementos. A vocalista é Cristina Caramarcu, autora da letra do tema.

3 – Sérvia

Intérprete: Sanja Ilić e Balkanika
Canção: "Nova Deca"

A Sérvia estreou-se na Eurovisão em 2007, com uma vitória, depois de participar juntamente com Montenegro, entre 2004 e 2006, antes da separação do país em dois estados independentes.

Aleksandar Sanja Ilić é o líder da banda que representa este ano o país, sendo igualmente o autor da música, que escreveu em conjunto com a mulher, Tatjana Karajanov Ilić, e que tem uma grande influência de instrumentos da região dos Balcãs.

4 – São Marino

Intérprete: Jessika com Jenifer Brening
Canção: "Who We Are"

Jessika Muscat é uma cantora, compositora e atriz nascida em Malta em 1989. Concorreu por diversas vezes ao Festival da Canção de Malta, mas nunca venceu. No Festival Eurovisão da Canção deste ano faz dupla com a cantora alemã Jenifer Brening, uma das autoras da letra e da música do tema "Who We Are".

São Marino estreou-se na Eurovisão em 2008 e em apenas uma ocasião conseguiu qualificar-se para a final, em 2014, terminando em 24.º lugar.

5 – Dinamarca

Intérprete: Rasmussen (Jonas Flodager Rasmussen)
Canção: "Higher Ground"

Rasmussen, nome artístico de Jonas Flodager Rasmussen, tem 33 anos e já participou em musicais como “West Side Story” e “Os Miseráveis”, bem como em concertos de tributo a Elton John, Paul McCartney ou ABBA. A canção "Higher Ground" é inspirada no 'viking' Magnus Erlendsson e na sua recusa em participar na Batalha de Anglesey, em 1098, por defender a não-violência.

A Dinamarca participou pela primeira vez no Festival da Eurovisão em 1957, tendo concorrido em 46 ocasiões desde a estreia, com uma interrupção entre 1967 e 1977, após uma má classificação em 1966. A Dinamarca já venceu o concurso três vezes, em 1963, 2000 e 2013.

6 – Rússia

Intérprete: Julia Samoylova
Canção: "I Won't Break"

A Rússia só venceu uma vez o Festival Eurovisão da Canção, em 2008, 14 anos depois da estreia do país. Desde a introdução das semifinais, em 2004, qualificou-se sempre para a final, alcançando ainda dois segundos lugares, em 2000 e 2006, neste último ano com Dima Bilan, que viria a vencer em 2008 com a canção "Believe".

Julia Samoylova é uma cantora e compositora nascida em 1989 que desde a infância usa uma cadeira de rodas. Foi finalista da versão russa do programa X-Factor e em 2017 foi a escolhida para representar a Rússia na Eurovisão.

No entanto, a Ucrânia, que acolhia nesse ano o concurso em Kiev, impediu a cantora de entrar no país, já que esta tinha atuado em junho de 2015 na Crimeia, cerca de um ano após a anexação da península ucraniana pela Rússia.

7 – Moldávia

Intérprete: DoReDoS
Canção: "My Lucky Day"

A Moldávia estreou-se no festival em 2005, tendo alcançado a final em nove ocasiões. Em 2017, em Kiev, alcançou a sua melhor classificação de sempre, o terceiro lugar, ficando atrás de Portugal e da Bulgária.

Os DoReDos são um trio de 'folk-pop' criado em 2011 e constituído por Marina Djundiet, Eugeniu Andrianov e Sergiu Mița. O nome da banda advém das duas primeiras notas musicais.

8 – Holanda

Intérprete: Waylon (nome artístico de Willem Bijkerk)
Canção: "Outlaw In 'Em"

A Holanda foi um dos sete países que "inauguraram" o Festival Eurovisão da Canção, em 1956. O país venceu por quatro vezes o concurso, em 1957, 1959, 1969 e 1975.

Para tentar acabar com o "jejum" de 42 anos, a Holanda aposta este ano em Waylon e no tema "Outlaw In 'Em". O cantor já representou a Holanda em 2014, ano em que com Ilse DeLange formou o dueto The Common Linnets, terminando no 2.º lugar. É também um dos autores da letra e da música que representa o país este ano.

9 – Austrália

Intérprete: Jessica Mauboy
Canção: "We Got Love"

Jessica Mauboy é uma das artistas com mais sucesso na Austrália. Saltou para a ribalta em 2006 quando, aos 16 anos, participou no programa "Ídolos", tendo desde então lançado cinco álbuns que atingiram o 'top' 10.

A Austrália participou pela primeira vez na Eurovisão em 2015, como país convidado, no ano em que o concurso celebrava o 60.º aniversário. A partir de 2016 passou a entrar na competição, tendo como melhor classificação o segundo lugar, nesse ano.

10 – Geórgia

Intérprete: Ethno-Jazz Band Iriao
Canção: "For You"

A Geórgia estreou-se no Festival Eurovisão da Canção em 2007 e tem como melhor classificação o 9.º lugar, alcançado em 2010 e 2011, tendo tido mais sucesso no Festival Eurovisão Júnior, que já venceu por três vezes.

David Malazonia é o líder da banda que este ano representa a Geórgia, sendo igualmente o autor da música, que mistura elementos polifónicos georgianos, música moderna e jazz.

11 - Polónia

Intérprete: Gromee com Lukas Meijer
Canção: "Light Me Up"

A Polónia participou pela primeira vez na Eurovisão em 1994 e logo com um segundo lugar, com a canção "To Nie Ja!", interpretada por Edyta Górniak. Esta continua a ser a melhor classificação do país no concurso.

O intérprete da canção deste ano é Gromme, nome artístico de Andrzej Gromala, produtor de música e DJ. Já gravou inúmeros 'singles', mas apenas em março deste ano lançou o seu primeiro álbum. Em Lisboa, no palco da Eurovisão, atuará acompanhado pelo compositor e músico sueco Lukas Meijer.

12 – Malta

Intérprete: Christabelle
Canção: "Taboo"

A intérprete da canção de Malta, Christabelle, tem 26 anos e além de cantora também é compositora e apresentadora de televisão. Já fez a primeira parte de concertos da cantora italiana Laura Pausini e este ano participou pela quarta vez no concurso para selecionar a canção de Malta para a Eurovisão, vencendo a votação do júri e do público.

O país estreou-se na Eurovisão em 1971, mas nunca venceu. Tem como melhor classificação o 2.º lugar, alcançado em 2002 e 2005.

13 – Hungria

Intérprete: AWS
Canção: “Viszlát Nyár”

A Hungria estreou-se na Eurovisão em 1994, ano em que atingiu o quarto lugar, o melhor de sempre do país no concurso. Entre 1999 e 2004, não participou.

Os AWS, formados em Budapeste e 2006 e que se descrevem como uma “banda de metal moderna com atitude”, vão representar o país com uma música cantada na língua materna.

14 – Letónia

Intérprete: Laura Rizzotto
Canção: “Funny Girl”

A representar este ano a Letónia, que se estreou no festival em 2000 e não falhou uma edição desde então, está Laura de Carvalho Rizzotto, de 23 anos, que nasceu no Rio de Janeiro, onde vive, e é bisneta de portugueses, por parte da mãe, e de uma letã, por parte do pai.

A cantora, com dupla nacionalidade, letã e brasileira, vai tentar dar à Letónia a segunda vitória no concurso. A primeira e única foi em 2002.

Laura canta o tema em inglês.

15 – Suécia

Intérprete: Benjamin Ingrosso
Canção: “Dance You Off”

A Suécia chega à 63.ª edição do Festival da Eurovisão da Canção com seis vitórias (1974, 1984, 1991, 1999, 2012 e 2015) e dois últimos lugares (1963 e 1977).

O país de onde são originários os vencedores do concurso que atingiram maior sucesso a nível mundial, os ABBA, é este ano representado pelo jovem Benjamin Ingrosso, de 20 anos, que vai defender um tema ‘pop’ cantado em inglês.

16 – Montenegro

Intérprete: Vanja Radovanović
Canção: “Inje”

O Montenegro estreou-se no concurso em 2007, tendo falhado em 2011 e sem ter conseguido nenhuma vitória até hoje.

Antes disso, o país tinha entrado no Festival Eurovisão da Canção como parte da Jugoslávia (de 1961 a 1992) e da Sérvia e Montenegro (de 2004 a 2006).

Este ano, o país é representado por um cantor com 14 anos de experiência e que vai defender um tema que compôs, cantado em montenegrino.

17 – Eslovénia

Intérprete: Lea Sirk
Canção: “Hvala, ne!”

A Eslovénia iniciou-se no Festival Eurovisão da Canção em 1993, embora entre 1961 e 1992 tenha participado como parte da Jugoslávia.

Em 1995 e 2001 o país conquistou um sétimo lugar, a melhor classificação de sempre.

Este ano, a Eslovénia é representada por uma cantora para quem o palco da Eurovisão não é desconhecido. Lea Sirk, que vai defender um tema cantado em esloveno, fez parte dos coros da Eslovénia em 2014 e em 2016.

18 – Ucrânia

Intérprete: MELOVIN
Canção: “Under The Ladder”

Apesar de só ter começado a participar no concurso em 2003, a Ucrânia soma já duas vitórias (2004 e 2016) e nunca falhou uma final.

Este ano, cabe a MELOVIN, de 21 anos, defender as cores da bandeira ucraniana, com um tema cantado em inglês.

Itália

Intérprete: Ermal Meta e Fabrizio Moro
Canção: “Nom mi avete fatto niente”

Itália é o país responsável pelo formato do Festival Eurovisão da Canção, inspirado no Festival di Sanremo, que se realiza naquele país desde 1951, e venceu o concurso duas vezes: em 1964 e em 1990.

Em 1997, o país decidiu retirar-se do concurso, tendo regressado em 2011, terminando nesse ano em segundo lugar.

Este ano, Itália é representada por dois cantores com carreiras consolidadas naquele país, que optaram por um tema cuja letra aborda termas como a guerra e os atentados terroristas. A dada altura, Ermal Meta e Fabrizio Moro cantam que “não existe bomba pacifista”.

França

Intérprete: Madame Monsieur
Canção: “Mercy”

França, que participa no concurso desde a primeira edição, em 1956, soma cinco vitórias (em 1958, 1960, 1962, 1969 e 1977), tendo ficado em último lugar uma única vez (em 2014).

Este ano, o país é representado pela dupla Jean-Karl and Emilie, os Madame Mounsieur, que defendem uma canção que aborda os temas das guerras e dos refugiados.

Alemanha

Intérprete: Michael Schulte
Canção: “You let me walk alone”

A Alemanha é outro dos países que participam no Festival Eurovisão da Canção desde 1956, tendo falhado apenas uma edição, em 1996. Apesar disso, venceu apenas em duas edições, em 1982 e em 2010.

Este ano, a Alemanha é representada por Michael Schulte, de 28 anos, que se tornou conhecido com os vídeos que começou a partilhar em 2007 na plataforma ‘online’ Youtube, nos quais surgia a tocar ‘covers’.

Apesar de alemão, Michael Schulte vai cantar um tema em inglês.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.