De acordo com a distribuidora NOS Audiovisuais, a primeira sessão com música ao vivo será a 08 de julho em Lisboa, em local a anunciar, seguindo-se a 09 no Cinema Trindade, no Porto, e a 10 no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

A 16 de julho, Tó Trips atuará em Aveiro no Festival dos Canais.

“Surdina” deveria ter chegados aos cinemas em abril, mas a estreia foi adiada por causa da covid-19, que levou ao encerramento das salas.

O filme de Rodrigo Areias tem argumento do escritor Valter Hugo Mãe, é protagonizada por António Durães e Ana Bustorff e apresentada como uma “tragicomédia minhota” sobre envelhecimento.

Tó Trips assina a banda sonora em nome próprio, depois de ter composto música para outras produções com Pedro Gonçalves nos Dead Combo.

“Surdina” teve estreia mundial em outubro passado na 43.ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, no Brasil.

A estreia deste filme faz parte de uma estratégia da NOS Audiovisuais de colocar em sala várias produções portuguesas ao longo dos próximos meses, assumindo que a rede de exibição comercial vai reabrir na totalidade.

As salas podiam reabrir a 01 de junho, mas a reabertura foi gradual e grande parte está ainda encerrada, nomeadamente da maior exibidora, a NOS Cinemas, que detém 219 salas.

De acordo com os dados mais recentes do ICA, a rede de exibição cinematográfica em Portugal dispõe de 150 recintos, 537 salas e mais de 99 mil lugares.

A NOS Cinemas é a maior exibidora nacional, com 219 salas, o que representa 40,9% do total de ecrãs. Seguem-se Cineplace (85 salas), NLC Cinema City (46 salas), UCI (45 salas) e Castello Lopes/Socorama (31 salas).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.