Da lista de 62 projetos selecionados, que foi divulgada no ‘site’ do Instituto Real de Arquitetos Britânicos (RIBA, na sigla em inglês), o júri irá escolher alguns, que irá visitar para depois poder selecionar os quatro finalistas. O vencedor será anunciado em novembro de 2018.

Entre os 62 finalistas estão três projetos situados em Lisboa.

O edifício do MAAT, da Fundação EDP, situado na frente ribeirinha, na zona de Belém, foi projetado pelo ateliê AL_A, num investimento global de 20 milhões de euros pela EDP.

O quarteirão piloto do Bairro Padre Cruz, em Carnide, o maior bairro social da Península Ibérica, dois edifícios com um total de 20 habitações a implementar na zona de alvenarias do bairro, foi projetado pela Orange - Arquitectura e Gestão de Projecto com Bruno Silvestre Architecture e D Sul, para a Câmara Municipal de Lisboa.

A sede e Centro de Inovação e Competitividade da GS1 Portugal, no Lumiar, cujas paredes exteriores foram trabalhadas pelo artista português Alexandre Farto, que assina Vhils, foi projetada pelo atelier Promontório.

O prémio internacional de arquitetura RIBA visa distinguir o mais significativo e inspirador edifício do ano.

Em 2018, o prémio será atribuído “a um edifício que exemplifique excelência em design, ambição arquitetónica e tenha um impacto social significativo”, lê-se no ‘site’ do RIBA.

Em 2016, foi galardoada a Universidade de Engenharia e Tecnologia (UTEC) em Lima, no Peru, projetada pelo Grafton Architects.

O Centro de Artes Contemporâneas dos Açores, projetado pelo ateliê Menos é Mais Arquitetos e João Mendes Ribeiro, era um dos seis finalistas

Fundado em 1834, o RIBA é uma das mais prestigiadas organizações da prática da arquitetura em todo mundo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.