Os freegan consomem alimentos que estão para ser deitados fora, mas que ainda são comestíveis. Aladdin Charni, o gestor do restaurante Freegan Pony, adoptou esse estilo de vida há sete anos, por questões políticas. "Acho que a forma como consumimos os alimentos é completamente absurda, é como se não tivessem nenhum valor", disse à Public Radio International.

Desde que abriu em novembro de 2015, têm sido servidas em média 80 refeições por dia, durante as quatro noites por semana em que o restaurante está aberto. As pessoas que lá vão encontram um menu que varia consoante os ingredientes que Charni comprou naquele dia. Isto torna-se um desafio para os chefes que lá trabalham, e a criatividade torna-se palavra de ordem.

No final de cada refeição, cada cliente paga o valor que quiser,o que faz com que o Freegan  Poney seja um restaurante sem fins lucrativos.

No entanto, apesar das boas intenções, o Freegan Pony está ilegal e tem já uma ordem do tribunal para fechar. Aladdin Charni tem esperança de conseguir um acordo com a cidade de Paris de modo a manter as portas abertas, para lutar contra o desperdício.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.