"O Benfica tem uma vantagem de três pontos, é confortável, mas faltam três jogos e não podem adormecer, porque uma derrota pode complicar tudo. Os jogadores têm a perfeita noção, há muito mais ansiedade na reta final em que não se pode haver nenhum percalço. A equipa tem que estar superconcentrada para não deixar fugir essa margem", começou por dizer.

À margem do Estoril Open em ténis, o ex-avançado das ‘águias' confessou que "neste momento a qualidade das exibições não é o mais importante", salientando a necessidade de "conseguir sempre os três pontos".

Abordado sobre se o próximo jogo seria decisivo, Simão Sabrosa recordou que o dérbi entre Sporting e Benfica (1-1) da 30.ª jornada também "era", alertando para a dificuldade que tanto ‘encarnados' como ‘dragões' terão diante de Rio Ave e Marítimo, respetivamente.

"Já se dizia anteriormente que seria a jornada do dérbi. O Benfica conseguiu o empate e, de facto, esta é jornada mais importante porque é a próxima. Acredito que este fim de semana se possa começar a decidir quem será o campeão. Não vai ser fácil para duas equipas, vão ser dois jogos completamente diferentes e bastante difíceis", argumentou.

Em jeito de comparação, o antigo internacional português frisou que o técnico do FC Porto, Nuno Espírito Santo, precisa de continuar a trabalhar para ter sorte, lembrando que Rui Vitória também passou por dificuldades quando assumiu o plantel principal do Benfica.

"É preciso ter sorte, mas sorte só vem quando se trabalha. O Nuno Espírito Santo tem trabalhado, é certo. Mas o Benfica tem sido melhor durante esta época, está em primeiro lugar e tem mais pontos. É um bom treinador, mas tem que continuar a trabalhar. O Rui Vitória, no início, também começou mal e acabou por ser campeão", concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.