Os tripulantes de cabine da Azores Airlines e da SATA Air Açores – que voa entre as nove ilhas do arquipélago -, iniciaram hoje uma greve de 48 horas, estando assegurados apenas voos de serviços mínimos. A paralisação, segundo o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), está a registar uma adesão de 100%.

O porta-voz da companhia, António Portugal, adiantou à agência Lusa que, além dos voos cancelados devido à greve, as condições meteorológicas impediram hoje a realização da ligação Horta/Flores/Horta, voo programado no âmbito dos serviços mínimos decretados em virtude da greve.

Além disso, o voo Lisboa/Pico, da Azores Airlines, que seria realizado no âmbito dos serviços mínimos, regressou à capital devido às condições meteorológicas no arquipélago, indicou ainda António Portugal, acrescentando que os passageiros daqueles voos cancelados devido ao mau tempo serão reencaminhados na terça-feira.

Segundo o porta-voz da SATA, até ao momento já foram afetados cerca de 750 passageiros da SATA Air Açores e cerca de 580 da Azores Airlines.

O incumprimento de vários pontos do clausulado do acordo de empresa, assim como de alguns protocolos assinados, são os motivos apontados para a greve pelo sindicato, depois deste se ter reunido, na quinta-feira, com a administração, mas sem chegar a um acordo.

No pré-aviso de greve, o SNPVAC diz que, no seu entendimento, o conceito de necessidades impreteríveis apenas se confina às regiões autónomas dos Açores e da Madeira “por razões de coesão nacional e isolamento das populações para quem é essencial este meio de transporte”, não se estendendo por isso a voos para o estrangeiro.

O sindicato sublinhou que estão asseguradas as ligações entre Ponta Delgada e a Terceira e o continente através de outras operadoras, designadamente a TAP, a EasyJet e a Ryanair.

Bruno Fialho, do SNPVAC, adiantou à agência Lusa que a SATA solicitou uma reunião com o sindicato, que será realizada na terça-feira, pelas 09:30 locais (mais uma hora em Lisboa), na sede da companhia, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, sublinhando que a estrutura sindical “não está fechada ao diálogo”.

Proteção Civil dos Açores alerta que mau tempo vai manter-se em todo o arquipélago

A Proteção Civil dos Açores emitiu hoje à tarde um aviso a alertar para a situação de mau tempo, que se vai manter nas nove ilhas do arquipélago, com previsões de vento, chuva forte e agitação marítima.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), as ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) estão sob aviso amarelo até às 21:00 locais de hoje (mais uma hora em Lisboa), por causa do vento e precipitação pontualmente forte.

Aquelas duas ilhas vão estar ainda sob aviso amarelo, devido à agitação marítima, com ondas de sudoeste, até às 00:00 locais de terça-feira.

Também das ilhas do grupo central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) vão estar sob aviso amarelo, entre as 15:00 locais de hoje e as 15:00 de terça-feira, devido a previsões de vento, e entre as 18:00 locais de hoje e as 06:00 locais de terça-feira, devido à precipitação, que poderá ser pontualmente forte.

Nas ilhas de São Miguel e Santa Maria (grupo oriental) o aviso amarelo devido ao vento vai vigorar entre as 05:00 locais e as 12:00 de terça-feira.

São Miguel e Santa Maria vão estar ainda sob aviso amarelo, por causa da precipitação pontualmente forte, no período entre as 00:00 e as 18:00 de terça-feira.

O aviso amarelo é o segundo numa escala de quatro e indica “situações de risco para determinadas atividades”.

Devido a estas previsões meteorológicas, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores recomenda que sejam tomadas medidas de autoproteção.

[Notícia atualizada às 16h03 com declarações da Proteção Civil]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.