“Parece que antes do Yom Kippur (uma das principais celebrações do judaísmo) pode ser evitado um atentado com motivação islâmica”, disse, à margem de uma deslocação a Bremen (noroeste), acerca de uma ameaça de atentado contra a sinagoga de Hagen (oeste), da qual é suspeito um sírio de 16 anos.

“O perigo imediato foi afastado e faremos tudo para esclarecer que redes poderão ter estado na origem” do plano de ataque, adiantou Laschet, ministro-presidente da região da Renânia do Norte–Vestfália, onde se situa Hagen.

Um sírio de 16 anos e três dos seus familiares foram detidos hoje de manhã no âmbito de uma investigação sobre uma ameaça de atentado aquela sinagoga em pleno Yom Kippur.

Alertadas por um serviço secreto estrangeiro, as autoridades alemãs aumentaram a vigilância na noite de quarta-feira em redor do local de culto, onde a celebração da festa judaica na presença de dezenas de fiéis foi cancelada.

A ameaça de atentado foi “motivada pelo islamismo”, confirmou hoje o ministro do Interior da região, Herbert Reul.

Há dois anos registou-se um ataque contra a sinagoga de Halle, centro da Alemanha, durante as festividades do Yom Kippur.

Na altura um extremista de direita entrou na sinagoga e disparou uma arma de fogo sobre as pessoas que se encontravam no local tendo depois matado duas pessoas na rua, quando se pôs em fuga.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.