A Agência nacional para a gestão de desastres (BNPB) disse que o aeroporto de Bali foi encerrado por pelo menos 24 horas, com as autoridades a admitirem a sua reabertura na terça-feira após avaliação da situação.

O monte Agung está a expelir uma coluna de cinzas em direção à atmosfera que ultrapassa os quatro quilómetros de altura, e que obrigou ao encerramento já no domingo do pequeno aeroporto internacional da ilha vizinha de Lombok, quando as cinzas se começaram a deslocar para leste.

As autoridades indonésias ordenaram a distribuição imediata de máscaras, dado que as cinzas vulcânicas continuam a cair em inúmeras aldeias.

Um responsável pela agência, citado pela Associated Press (AP), justificou a elevação do nível de alerta pelo facto de o vulcão ter começado a expelir magma. No entanto, disse que não esperava uma erupção de grandes dimensões.

Previamente, a zona de exclusão em torno do vulcão variava entre 6 e 7,5 quilómetros.

A última grande erupção deste vulcão ocorreu em 1963 e matou cerca de 1.100 pessoas.

Bali é o principal destino turístico da Indonésia, com uma afluência mensal de cerca de 200 mil turistas estrangeiros, segundo dados oficiais.

O arquipélago da Indonésia assenta sobre o chamado “Anel de Fogo” do Pacífico, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida por milhares de sismos por ano, a maioria moderados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.