“A SIRESP SA e a Altice como fornecedora pode garantir que, no que depender de nós, a redundância do sistema SIRESP - Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal vai estar ativa durante o verão” e o funcionamento vai estar garantido “nem que para isso a Altice Portugal tenha que pagar do seu bolso o investimento e os custos associados para manter esta rede a funcionar”, afirmou aos jornalistas o presidente da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, à margem da 3.ª cimeira Portugal Air Summit que decorre em Ponte de Sor.

Um dia depois do tema SIRESP ter sido discutido no parlamento e depois de, em comunicado, a empresa ter assumido “não é nem será responsável por um eventual desligamento”, o CEO da Altice recordou que aguarda uma resposta por parte do governo nas negociações em curso.

Depois de a empresa ter sido confrontada com um “repto” e ter dado uma “resposta em horas”, a “bola está do lado do governo”, referiu Alexandre Fonseca.

“A Altice Portugal não negoceia nacionalizações, nem em Portugal, nem em qualquer parte do mundo. O que manifestámos foi uma disponibilidade para equacionar aquilo que é a alienação da nossa participação no SIRESP, dentro de condições que sejam justas e também com o outro acionista privado envolvido, a Motorola, e na mesma perspetiva”, sublinhou. “Esta é a negociação que está a acontecer neste momento”, reforçou Alexandre Fonseca que acrescentou que a empresa que lidera “faz tecnologia, telecomunicações” e não faz “política”.

O valor da dívida do Estado à entidade gestora do SIRESP “ronda os 12 milhões de euros” que resultam dos “mecanismos de redundância satélite que foram implementados a pedido do Estado português”, enfatizou.

Alexandre Fonseca reiterou que as alterações efetuadas “funcionam e foram fundamentais para a segurança das pessoas”, pelo que deverá “ser encontrada uma forma para o pagamento do que foi pedido”, notou. “Acreditamos n a palavra daqueles que se comprometerem pessoalmente com o ressarcimento deste investimento, que vão cumprir essa palavra, vão ser pessoas de bem e honradas e vamos receber, com certeza, aquilo que é devido, a seu tempo”, frisou.

As declarações de Alexandre Fonseca surgem um dia depois do SIRESP ter sido discutido no parlamento e  de a empresa, através de comunicado, se ter comprometido a garantir os serviços de rede necessários à segurança das populações.

Em jeito de balanço, o presidente da Altice sublinhou que a Rede (de Transmissão via Satélite e de Redundância de Energias do SIRESP) “está mais robusta e melhor e cumpre todos os níveis de qualidade que foram contratados”, um reconhecimento de  todos, do secretário de Estado e da Proteção Civil “que é quem melhor conhece a rede e que admitiu isso mesmo”. "Ainda continua a haver uma pequena margem de infoexcluídos do SIRESP que gostam de falar sem conhecer e que dizem umas coisas que não são verdade, mas que são populistas e que causam alarme nas pessoas”, finalizou.

(O SAPO24 é a marca de informação do Portal SAPO, detido pela MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., propriedade da Altice Portugal)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.