A notícia está a ser avançada pelo site Axios - que cita duas fontes próximas do tema, mas que não identifica - e citada pela Reuters.

Trump, que no passado chamou ao aquecimento global um embuste, recusou-se reiterar os compromissos assumidos no Acordo de Paris, celebrado em 2015, ainda sob a governação de Barack Obama, no encontro do G7 em Itália.

"Os Estados Unidos estão atualmente a reavaliar a política climática. Os outros seis países do G7 reafirmaram os seus compromissos [a favor dos acordos de Paris] tendo em conta esta posição norte-americana", afirmou o representante da delegação francesa ao G7.

"Anunciarei minha decisão sobre o acordo de Paris nos próximos dias. TORNAR A AMÉRICA GRANDE OUTRA VEZ!", escreveu o republicano esta quarta-feira na sua conta oficial no Twitter.

Na sua declaração final no final da reunião em Taormina, os líderes de Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, assim como da União Europeia, reconheceram a necessidade de esperar pela decisão de Washington nesta matéria.

O acordo de Paris, com cerca de 200 países subscritores, foi celebrado em 2015, e visa limitar o aquecimento global.

Detalha o site Axios que a decisão de tirar os EUA do acordo está a ser estudada por uma equipa que inclui do administrador da Agência de Proteção Ambiental norte-americana (EPA), Scott Pruitt.

Os EUA são o segundo maior emissor mundial de dióxido de carbono, atrás da China.

[Notícia atualizada às 15h03]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.