“No próximo dia 5 de outubro, a coleção Norlinda e José Lima dará lugar a uma nova coleção desta vez sediada em Abrantes e que é a coleção Figueiredo Ribeiro”, avançou António Costa, assegurando que a “Arte em São Bento” vai ter continuidade.

Referindo que a tradição é inaugurar a iniciativa no dia 05 de outubro como “boa forma de celebrar a República, devolvendo este edifício [residência oficial do primeiro-ministro] aos cidadãos”, o governante lembrou que essa data em 2019 foi dia de reflexão para as eleições, pelo que a coleção em exposição – Norlinda e José Lima — teve que ser aberta ao público um mês mais cedo, em setembro.

“Naturalmente, não conhecíamos o resultado das eleições, não anunciámos nada do que é que ia acontecer a seguir. Agora que já se conhecem os resultados eleitorais, já podemos anunciar o que é que vai acontecer a seguir”, explicou António Costa, no âmbito da inauguração da iniciativa “Design em São Bento — Traços da Cultura Portuguesa”.

A coleção Figueiredo Ribeiro vai ser a quarta edição da “Arte em São Bento”, iniciativa que se iniciou em 2017, e terá como curadores Ana Anacleto e João Silvestre.

Presente na cerimónia, o colecionador Figueiredo Ribeiro adiantou que “a coleção tem mais de 300 artistas e mais de 2.000 obras”, considerando que “representa, razoavelmente, a arte contemporânea portuguesa a partir dos anos 70″.

Sobre a iniciativa “Design em São Bento — Traços da Cultura Portuguesa”, inaugurada hoje e disponível ao público até junho de 2021, o primeiro-ministro disse que se trata de “uma exposição que não é um museu, nem uma galeria”, referindo que a ideia é transformar a residência oficial num “espaço de vida” para ser utilizado.

Servindo para homenagear os ‘designers’ e industriais portugueses, António Costa defendeu que a iniciativa é um exemplo que pode e deve ser replicado em outros edifícios de representação política.

A exposição “Design em São Bento” conta com mais de 80 obras de ‘design’, que mostram traços da cultura material portuguesa, numa nova iniciativa de arte na residência oficial do primeiro-ministro.

A inauguração da iniciativa contou com a presença de vários membros do Governo, nomeadamente os ministros da Cultura, dos Negócios Estrangeiros, da Modernização do Estado, do Ambiente e da Agricultura, assim como o presidente da Câmara de Lisboa.

A exposição apresenta 85 peças de diferentes naturezas — mobiliário, luminária, objetos decorativos, alfaias agrícolas, tapeçarias, peças científicas –, do século XII ao XXI, e realiza-se por iniciativa do primeiro-ministro, António Costa, que teve esta ideia em 2019, envolvendo o Museu do Design e da Moda (MUDE), em Lisboa.

“Design em São Bento — Traços da Cultura Portuguesa”, com curadoria da diretora do MUDE, Bárbara Coutinho, vai estar patente durante 18 meses, e disponibiliza visitas guiadas todos os primeiros domingos de cada mês.

Esta exposição, com peças de mais de 80 autores e mais de 30 marcas portuguesas representadas, contou com a colaboração de municípios, museus, empresas, designers e coleções privadas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.