"Um dos contactos (...) encontra-se a aproximadamente 477 metros de profundidade. Agora está a ser realizada a calibração do equipamento na água, para durante o dia atingir essa profundidade e visualizar" a zona, indicou o porta-voz Enrique Balbi este sábado, 2 de dezembro.

O jornal Clarín, que cita um relatório de fontes navais não identificadas, indicou na tarde deste sábado na sua página na internet que foi encontrado um "alvo" no fundo do mar, "de forma alongada" e cujas "dimensões aproximadas são de 62 metros de comprimento e 13 metros de altura sobre o fundo".

O jornal aponta que o submarino desaparecido mede 65,93 metros de comprimento e 15,3 metros de altura.

A AFP tentou confirmar esta informação, mas até o momento não foi possível.

A Armada está a inspecionar, ainda, outros três "contactos", como são chamados os sinais ou indícios que devem investigar para tentar encontrar o submarino "ARA San Juan", do qual já não esperam resgatar sobreviventes.

Na quinta-feira, as autoridades argentinas informaram que haviam passado da fase de "resgate" dos tripulantes à de "busca" do submarino.

"O ambiente extremo, o tempo que passou e a falta de qualquer evidência impedem sustentar um cenário compatível com a vida humana", afirmou o porta-voz da Armada neste sábado.

"Continuaremos (a busca) até esgotar todos os meios disponíveis", acrescentou.

O último contacto do submarino com a base em Mar del Plata ocorreu na manhã do dia 15 de novembro, quando navegava pelo Atlântico Sul, a 450 km da costa.

Na sua última mensagem, o "ARA San Juan" informou que havia superado uma avaria nas baterias - reportada horas antes - provocada pela entrada de água pelo respiradouro.

Três horas após a comunicação, um ruído semelhante a uma explosão ocorreu na mesma zona onde estava o submarino.

No total, 28 navios, nove aeronaves e quatro mil homens participaram nas operações de busca nos últimos 15 dias, que contaram com o apoio de 18 países, segundo o comunicado da Marinha.

Ao longo de duas semanas, "foram vasculhadas 557 mil milhas náuticas quadradas de exploração visual e 1.049.479 milhas náuticas quadradas de exploração por radar, sem contacto com o submarino".

O "ARA San Juan" havia zarpado no dia 11 de novembro, de Ushuaia (3.200 km ao sul de Buenos Aires) para regressar a Mar del Plata (400 km ao sul da capital).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.