“Depois de congratular o Partido Social Democrata (PSD) por ter incluído, no seu programa de recuperação económica, […] propostas concretas para a partilha de sacrifícios entre lojistas e centros comerciais na questão das rendas dos espaços comerciais, a AMRR vem agora felicitar o PCP pela proposta de alteração […] do Orçamento Suplementar, onde apresenta a sua posição concreta na defesa de um maior equilíbrio do esforço efetuado pelos lojistas e proprietários de espaços comerciais”, indicou, em comunicado, a associação.

Em causa está uma proposta do PCP que prevê a criação de um regime excecional que permita que os lojistas dos centros comerciais paguem apenas a componente variável das rendas até março de 2021.

A associação lembrou ainda que, no mesmo sentido, o PSD incluiu no seu programa uma proposta de ajustamento das rendas dos centros comerciais e, para as lojas de rua, de um corte de 28% nas rendas este ano, assegurando uma compensação fiscal para senhorios e pequenas e médias empresas.

“Após os representantes da AMRR terem sido ouvidos pela Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, no passado dia 03 de junho, também o partido Pessoas, Animais e Natureza (PAN), o Bloco de Esquerda e o CDS-PP concordaram com a necessidade de ser criada legislação específica neste contexto. Os signatários apelam para que os demais partidos se juntem a esta causa e permitam salvar um setor que representa mais de 375.000 empregos diretos e indiretos só nos centros comerciais”, notou.

Citado no mesmo documento, o presidente da AMRR, Miguel Pina Martins, afirmou que a defesa da recuperação económica e a salvaguarda do emprego “não tem cor política”, considerando ainda ser um “excelente sinal” que diferentes partidos apresentem propostas “para que não haja subsetores da economia que sejam privilegiados com a não aplicação de sacrifícios na maior crise económica do século”.

Hoje, por seu turno, a Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) alertou para a possibilidade de encerramento de alguns espaços perante a proposta do PCP.

De acordo com as estimativas da APCC, esta medida pode levar ao encerramento de mais de duas mil lojas e a uma quebra de quase 25 mil postos de trabalho diretos e 50 mil indiretos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 501 mil mortos e infetou mais de 10,16 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.568 pessoas das 41.912 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.