O porta-voz do Governo, Stelios Petsas, explicou que o ataque DDoS (um ataque de negação de serviço, ou seja, que torna um servidor ou uma infraestrutura indisponível) “levou ao mau funcionamento de certos sites”.

O responsável adiantou apenas que foram ativadas “contramedidas” com sucesso, mas não adiantou mais pormenores.

Além do site do primeiro-ministro, os alvos do ataque realizado na quinta-feira à noite incluíram os sites dos ministérios da Administração Interna e da Segurança, dos Negócios Estrangeiros e da Marinha, mas também os da polícia e do corpo de bombeiros da Grécia.

Este foi o segundo ataque cibernético contra sites do Governo grego em menos de uma semana.

A responsabilidade pelo primeiro ataque foi reivindicada numa mensagem publicada online por um grupo de ‘hackers’ que dizia ser da Turquia.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.