De acordo com a agência noticiosa AP, Salim Riaz Khan, um responsável da polícia de Dera Ismail Khan, no nordeste do país, junto à fronteira com o Afeganistão, disse que inicialmente dois homens armados em motas abriram fogo sobre a polícia numa área residencial, matando duas pessoas.

Segundo o responsável, a bombista suicida fez-se depois explodir à entrada do hospital, matando mais quatro membros da polícia e três civis que estavam a visitar familiares.

Entre os feridos estão oito polícias, alguns em estado crítico, de acordo com Salim Riaz Khan.

O ataque danificou a sala de urgências e obrigou ao seu encerramento, tendo os feridos sido levados para um hospital militar, segundo um responsável hospitalar que falou sob condição de anonimato, por medo de represálias.

Um especialista forense local, Inayat Ullah, disse que a bombista se fez explodir juntamente com sete quilos de explosivos com pregos e esferas de aço.

O grupo extremista talibã reivindicou o ataque, mas não reconheceu que a bombista suicida foi uma mulher.

O exército paquistanês tem levado a cabo várias operações nos últimos anos contra os talibã e outras milícias junto à fronteira com o Afeganistão, tendo a violência diminuído, mas ocorrendo ainda ataques ocasionais, sobretudo com as forças de segurança ou minorias religiosas como alvo.

(Notícia corrigida às 21h20 - Corrigidos os elementos que foram usados juntamente com os explosivos)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.