Além dos eleitos pela coligação “Mais Lisboa”, de PS/Livre, e pela coligação “Novos Tempos”, de PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança, o novo mapa dos executivos das freguesias da capital continua a ter a presença da CDU (PCP/PEV), com a reeleição do comunista Fábio Sousa como presidente da Junta de Freguesia de Carnide, com 45,53% dos votos.

Há quatro anos, nas eleições autárquicas de 2017, o PS conseguiu 19 presidentes da junta, com 40,33% dos votos, o PSD obteve quatro (17,87%), a coligação CDS-PP/MPT/PPM não conseguiu eleger nenhum (13,97%) e a CDU arrecadou um (11,52%).

Nas eleições autárquicas de domingo, a par da vitória da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança na Câmara Municipal de Lisboa, encabeçada pelo social-democrata Carlos Moedas, as votações nas assembleias de freguesias resultaram também numa mudança no executivo deste poder local, com a perda de representatividade por parte dos socialistas.

Das 24 assembleias de freguesias de Lisboa, a coligação PS/Livre ganhou a presidência de 13 juntas, menos seis do que há quatro anos, com 80.807 votos dos 242.869 votantes, equivalente a 33,27%, seguindo-se a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança, que venceu 10 juntas, com 74.019 votos (30,48%), e a coligação PCP/PEV, que manteve uma junta, conseguindo no total 27.816 votos (11,45%).

As seis juntas de freguesia onde os socialistas perderam a maioria e que foram conquistadas pela coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança são Alvalade, Arroios, Avenidas Novas, Lumiar, Parque das Nações e São Domingos de Benfica.

A Junta de Freguesia de Campo de Ourique, onde vive o presidente eleito da Câmara Municipal de Lisboa, o social-democrata Carlos Moedas, esteve a 25 votos de ser conquistada pela coligação “Novos Tempos”, mas mantém-se sob a presidência do socialista Pedro Costa - filho do primeiro-ministro, António Costa -, após a reeleição com 3.500 votos (34,26%) contra 3.475 votos (34,02%) da candidatura de PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança, encabeçada por Teresa Morais Leitão.

Em Alvalade, o socialista José Borges falhou a reeleição como presidente da junta e o cargo foi conquistado por José Lopes, da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança, que venceu com 33,15% dos votos contra 28,64% da candidatura PS/Livre.

Na assembleia de freguesia de Arroios, Madalena Natividade é a presidente eleita da junta, candidata pela coligação “Novos Tempos”, com 29,02% dos votos, afastando a reeleição da atual presidente socialista, Margarida Martins, que teve 23,79% dos votos.

Nas Avenidas Novas, o presidente eleito da junta de freguesia é o social-democrata Daniel Gonçalves, que já esteve nesse cargo no mandato de 2013-2017 e que teve nas eleições autárquicas de domingo 43,02% dos votos contra 26,78% conquistados pela atual presidente socialista, Ana Gaspar.

Entre as perdas dos socialistas na presidência das juntas de Lisboa está também a freguesia do Lumiar, em que venceu o médico Ricardo Mexia, candidato pela coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança, com 41,34% dos votos contra 27,09% do atual presidente socialista, Pedro Delgado Alves, que em 2017 foi eleito com 40,38%.

No Parque das Nações ganhou a presidência da junta Carlos Ardisson, candidato da coligação “Novos Tempos”, eleito com 35,84% dos votos, impedindo a reeleição do socialista Mário Patrício (34,35%).

Na freguesia de São Domingos de Benfica, o socialista António Cardoso perdeu a presidência da junta para o candidato José da Câmara, da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança, que conseguiu 35,27% dos votos contra 32,80% da candidatura PS/Livre.

As 13 Juntas em que os socialistas mantêm a presidência foram vencidas com a recandidatura dos atuais autarcas no cargo, à exceção de Campolide: Ajuda - Jorge Marques (51,48%); Alcântara - Davide Amado (53,65%); Beato - Silvino Correia (39,54%); Benfica - Ricardo Marques (45,64%); Campo de Ourique - Pedro Costa (34,26%); Campolide - Miguel Marques (38,93%); Marvila - José Videira (48,51%); Misericórdia - Carla Madeira (33,09%), Olivais - Rute Lima (34,72%); Penha de França - Sofia Dias (36,95%); Santa Clara - Maria Ferreira (36,19%); Santa Maria Maior - Miguel Coelho (44,96%); e São Vicente - Natalina Moura (28,65%).

As quatro juntas que voltam a ser presididas por sociais-democratas, após se recandidatarem pela coligação “Novos Tempos”, são: Areeiro - Fernando Braamcamp (42,56%); Belém - Fernando Rosa (46,43%); Estrela - Luís Newton (47,80%); e Santo António - Vasco Morgado (44,56%).

A única Junta de Freguesia que não está na presidência das coligações PS/Livre e PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança é, novamente, Carnide, com a reeleição do autarca comunista Fábio Sousa (45,53%).

O social-democrata Carlos Moedas foi eleito presidente da Câmara Municipal de Lisboa, com 34,25% dos votos, nas eleições autárquicas de domingo, ‘roubando’ a autarquia ao PS, que liderou o executivo autárquico da capital nos últimos 14 anos.

Carlos Moedas vai suceder na presidência da Câmara Municipal de Lisboa ao socialista Fernando Medina, que se recandidatou ao cargo na coligação Mais Lisboa (PS/Livre).

Segundo os resultados oficiais, ainda provisórios, a coligação Novos Tempos Lisboa (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança) conseguiu sete vereadores, com 34,25% dos votos (83.121 votos); a coligação Mais Lisboa obteve também sete vereadores, com 33,3% (80.822 votos); a CDU (PCP/PEV) dois, com 10,52% (25.528 votos); e o Bloco de Esquerda (BE) conseguiu um mandato, com 6,21% (15.063).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.