"Os russos continuam a matar civis na região. Quatro pessoas foram mortas em Severodonetsk e Rubezhnoye na sexta-feira. Dez pessoas foram feridas", escreveu Sergii Haidai na plataforma Telegram, de acordo com a agência de notícias ucraniana Interfax.

Haidai indicou que pelo menos 54 instalações em Severodonetsk, Rubizhne, Privilege e Kreminna, incluindo 19 edifícios residenciais e 19 casas particulares, bem como dois centros de saúde, infraestruturas críticas e armazéns e instalações, sofreram danos estruturais.

Na quinta-feira, Haidai afirmou que o exército russo estava a "tentar tomar" a área de Rubizhne e Severodonetsk e confirmou que as autoridades estavam a preparar um corredor humanitário para domingo, de acordo com a estação de televisão norte-americana CNN.

Horas antes, o Estado Maior General das Forças Armadas da Ucrânia declarou, na rede social Facebook, que as tropas russas tinham avançado para Severodonetsk, a 13 quilómetros de Rubizhne.

Também as localidades de Popasna, Lysychansk e Kreminna continuam a ser alvos de bombardeamentos, de acordo com uma entrevista que Haidai concedeu a um órgão de comunicação social ucraniano, publicada no Facebook.

O chefe da administração militar regional de Lugansk anunciou, no Facebook, estar marcado, para esta tarde, pelas 14:00 (12:00 em Lisboa), um comboio de retirada da região, a partir da estação de Novozolotarivka.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.