A decisão foi tomada no sábado por um júri do tribunal federal de Cape Girardeau, no Missouri (centro), após um pedido de Bill Bader, que dizia que as empresas estavam a incentivar os produtores a usar o herbicida Dicamba de uma forma irresponsável.

O Dicamba é um pesticida popular, mas controverso, pela facilidade com que se espalha, matando plantas menos resistentes.

Segundo a agência Bloomberg, citada pela France Presse, este é o primeiro processo nos Estados Unidos referente ao Dicamba. Assim como o RoundUp, outro pesticida polémico comercializado pela Monsanto, o Dicamba está no mercado há muitos anos.

Vários agricultores nos Estados Unidos entraram com uma ação contra a Bayer por perdas atribuídas ao pesticida Dicamba.

Esta decisão judicial surge após outro caso em que a Bayer foi condenada por um júri californiano a pagar 290 milhões de dólares (267 milhões) a um jardineiro que sofria de um cancro incurável, por não ter informado suficientemente sobre a perigosidade do RoundUp.

A Bayer, que argumentou que o Dicamba é seguro para as culturas desde que os utilizadores sigam as instruções, disse em comunicado que pretendia recorrer da decisão “o mais rápido possível”.

A BASF não esteve disponível no imediato para reagir.

A Bayer comprou em 2018 a gigante americana de OGM e sementes Monsanto e teve de vender parte das suas atividades agroquímicas à BASF para satisfazer as autoridades da concorrência.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.