“A Câmara Municipal de Aveiro anunciou ontem [quinta-feira] que os estudos geotécnicos confirmam a ‘possibilidade técnica de construção do estacionamento em cave’. Face a esta conclusão, o Bloco de Esquerda lembra que possibilidade é diferente de obrigatoriedade e reafirma a sua oposição à construção do estacionamento subterrâneo no Rossio”, refere um comunicado da concelhia bloquista.

A obra está estimada em mais de 10 milhões de euros, a suportar por um privado em troca da exploração do estacionamento e por fundos comunitários.

O Bloco considera que “há outras prioridades em Aveiro para o investimento de dinheiro público”, numa alusão à comparticipação da obra por fundos comunitários, a par do financiamento da entidade que ficar com a concessão do estacionamento.

“As políticas de mobilidade devem ser regidas pelo interesse público e sujeitas à democracia pelo que rejeita a concessão a privados nesta matéria”, acrescenta.

O comunicado refere também que “tem igualmente existido uma grande mobilização popular em torno de um Rossio verde”, que o Bloco considera dever ser atendida pelo executivo municipal.

“O novo estudo recua em relação à intenção inicial de reduzir a área de jardim. Prevê ainda a redução do trânsito na envolvente. Desde o início, o Bloco defendeu um Rossio enquanto área verde com usos múltiplos para a população e visitantes”, sublinha.

A concelhia do BE considera, por isso, “que se pode evoluir para uma solução de regeneração urbana sem o estacionamento subterrâneo e com prioridade à mobilidade coletiva e suave”.

A Câmara de Aveiro tem em audição pública, até ao dia 25, o “Estudo Prévio do Projeto de Qualificação do Rossio”, cuja memória descritiva pode ser consultada no ‘site’ da autarquia.

A primeira versão do estudo prévio mantém a controversa opção pela construção de um parque de estacionamento em cave, com capacidade para 263 lugares, sendo prometidos lugares reservados só para moradores, com uma política tarifária específica.

O estudo prévio prevê um prazo de execução de obra de ano e meio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.