Durante uma entrevista na BBC, quando questionado sobre as suas ligações com a empresária e modelo, Johnson procurou sugerir que havia motivações políticas na base da decisão da autoridade regional de Londres de propor uma investigação ao regulador da polícia.

O caso surgiu devido a uma notícia no jornal Sunday Times, segundo a qual Arcuri recebeu 126 mil libras do erário público e acesso privilegiado a missões empresariais aos Estados Unidos, Israel e Ásia quando Johnson era o autarca de Londres, ainda que o seu negócio não tivesse cumprido os requisitos de elegibilidade para estas viagens.

"Tudo foi feito de acordo com as regras, e tudo foi feito com toda a propriedade", respondeu Johnson e, quando questionado novamente, afirmou: "Não havia qualquer interesse a declarar".

O atual chefe de Governo participou em quatro ocasiões como orador convidado em representação da empresa de Arcuri e era amigo próximo da empresária, que visitava com frequência em sua casa, segundo o jornal.

O município de Londres informou no sábado ter solicitado à comissão independente de queixas da polícia (Independent Police Complaints Commission) uma investigação para verificar se a empresária Arcuri beneficiou da sua relação de então com o autarca.

Numa nota divulgada, o município de Londres, liderado pelo trabalhista Sadiq Khan, diz ter "informações de que um crime poderia ter sido cometido", embora "isso não signifique de forma alguma que isso esteja comprovado".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.