O balanço anterior dava conta de 48 mortos.

Em conferência de imprensa, o xerife do condado de Butte, Korey Honea, afirmou que pelo menos 130 pessoas continuam desaparecidas. A maioria é residente na localidade de Paradise, no norte da Califórnia.

As chamas estão a ser combatidas por mais de cinco mil bombeiros e já consumiram pelo menos 505 quilómetros quadrados, destruindo mais de sete mil casas e dezenas de edifícios comerciais e outras estruturas.

O incêndio em Paradise, com cerca de 27 mil habitantes, é já o mais mortífero na história da Califórnia, desde que existem registos. Em 1933, um fogo em Griffith Park, em Los Angeles, tinha causado 29 mortos.

Dois incêndios deflagraram na semana passada no sul e no norte do estado da Califórnia e rapidamente avançaram em várias frentes, alimentados por ventos fortes, destruindo dezenas de milhares de edifícios e obrigando ao encerramento de escolas, ao corte de estradas e à evacuação de localidades inteiras.

O número total de mortos em incêndios no estado da Califórnia aumentou para 58, e inclui as duas vítimas fatais registadas na cidade de Malibu (sul), de acordo com as autoridades.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.