Na proposta, consultada hoje pela Lusa, a vereadora com o pelouro da Qualidade de Vida da Câmara do Porto, Catarina Araújo, destaca que o Primavera Sound “é um dos mais importantes e populares festivais de música” que decorre na cidade.

A vereadora afirma que a edição de 2022 “veio confirmar o sucesso e crescimento” do festival, “com a presença de público português a ser superior a 2019 e com a significativa presença de visitantes estrangeiros, que representaram mais de um terço do público do festival”.

“De acordo com o “Estudo de Públicos, Satisfação e Impacto Económico do NOS Primavera Sound 2022″, o Primavera Sound Porto gerou um impacto económico para a cidade do Porto superior a 36 milhões de euros, sobretudo em setores como o alojamento, a restauração, os transportes, cultura e lazer e compras no comércio local, com um gasto médio por visitante de 501,83 euros”, destaca Catarina Araújo.

Defendendo que a 10.ª edição do Primavera Sound, que acontece este ano de 07 a 10 de junho, é “o momento ideal para afirmar, sem mais, a marca Primavera Sound Porto”, a vereadora afirma que a sociedade Pic-Nic Produções [titular de uma licença para exploração da marca] propôs ao município “o reforço do apoio” à realização do festival nas próximas três edições.

“O município do Porto pretende manter a aposta na estratégia de afirmação internacional da cidade, da marca Porto e da estreita relação e coordenação desta com a estratégia de animação da cidade, nomeadamente através da atração de grandes eventos, detentores de um universo de associações únicas e diferenciadoras para este destino”, afirma, acrescentando que o Primavera Sound se insere nessa estratégia.

Nesse sentido, o executivo discute na reunião privada de segunda-feira a atribuição, através da empresa municipal Ágora – Cultura e Desporto do Porto, de um apoio de 650 mil euros para cada uma das edições do Primavera Sound até 2025.

“Relativamente às edições de 2023 e 2024 já se encontra pago o valor de 20 mil euros por cada edição a título de garantia da realização do festival na cidade”, acrescenta Catarina Araújo.

O festival Primavera Sound Porto assinala a sua 10.ª edição com mais dias, artistas, investimento e recinto maior, anunciou o diretor do evento, José Barreiro, durante a conferência de imprensa de apresentação da edição deste ano.

O festival ‘cresce’ de três para quatro dias, de 60 para 76 artistas e para uma capacidade de acolher 45 mil pessoas diárias ao invés das anteriores 35 mil, fruto do aumento do recinto — Parque da Cidade — em cerca de seis hectares, explicou.

Em termos de orçamento, José Barreiro revelou que é de 13 milhões de euros não tendo, para já, nenhum grande patrocinador oficial.

Em termos de cartaz, o diretor do evento destacou presenças como as de Rosália, Kendrick Lamar, New Order, Blur, Pet Shop Bois e Halsey.

“É o cartaz mais ambicioso que fizemos em 10 anos de história. É um cartaz profundo e transversal”, disse o diretor do Primavera Sound Barcelona, Alfonso Lanza, igualmente presente na conferência de imprensa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.