A campanha “Ao volante, o telemóvel pode esperar”, que se prolonga até segunda-feira, 4 de dezembro, inclui ações de sensibilização da ANSR e operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, referem as autoridades, num comunicado conjunto.

A campanha tem como objetivo alertar os condutores para as consequências negativas e mesmo fatais do uso indevido do telemóvel durante a condução.

As ações de sensibilização decorrem em conjunto com as operações de fiscalização programadas para a Autoestrada 1 (A1) nas portagens de Alverca, sentido Norte/Sul, na Avenida Miguel Torga, em Chaves, na A4 em Quintanilha, Bragança, e na Praça da República, no Porto.

Nas 10 campanhas realizadas este ano, foram fiscalizados mais de 498 mil condutores presencialmente e cerca de 10,4 milhões de veículos através de radares.

Foram também realizadas 51 ações, durante as quais mais de 3.700 pessoas foram sensibilizadas presencialmente.

Na nota, a ANSR, a GNR e a PSP lembram que a "50 quilómetros por hora (km/h), olhar para o telemóvel durante três segundos é o mesmo que conduzir uma distância de 42 metros com os olhos vendados, o equivalente a uma fila de 10 carros".

Alertam igualmente que a utilização do telemóvel durante a condução "aumenta em quatro vezes a probabilidade de ter um acidente, causando um aumento no tempo de reação a situações imprevistas".

As campanhas inseridas nos planos nacionais de fiscalização são realizadas anualmente pela ANSR, GNR e PSP, desde 2020, com temáticas definidas com base nas recomendações europeias estabelecidas para cada um dos anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.