Meng Wanzhou, atualmente em prisão domiciliária, comparecerá diante do tribunal em Vancouver a 6 de março para definição do dia da audiência. Meng e a Huawei enfrentam acusações dos Estados Unidos de conspirar para violar sanções norte-americanas ao Irão.

“Hoje, autoridades do departamento de Justiça do Canadá emitiram autorização, formalmente iniciando o processo de extradição de Meng Wanzhou”, informou o governo em comunicado.

“O departamento está satisfeito que haja evidência suficiente para ser apresentada diante de um juiz de extradição”.

Especialistas jurídicos tinham previsto que o Governo de Trudeau daria sinal verde para o processo dada a relação judicial próxima entre o Canadá e os Estados Unidos.

Pode levar anos até que a executiva seja enviada para os EUA, já que o sistema judicial do Canadá permite múltiplas apelações.

A decisão deve dificultar as relações já tensas entre Canadá e a China, que exige a libertação de Meng.

Após a prisão, a China deteve dois cidadãos do Canadá com base em motivos de segurança nacional, e um tribunal chinês depois sentenciou à morte um cidadão que tinha sido preso por contrabandear drogas.

O ministro da Justiça do Canadá, David Lametti, recusou-se a comentar a notícia.

*Com agência Reuters

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.