Os cidadãos russos estão proibidos de visitarem o Castelo de Vincennes, uma fortaleza medieval e atração turística nos arredores de Paris, devido à invasão russa da Ucrânia, disseram as autoridades à AFP.

Outrora a residência dos reis franceses e um dos monumentos mais bem preservados da Europa, o castelo é em grande parte aberto ao público, seja para passeios, concertos, peças de teatro e outros eventos. Contudo, no mesmo passado duas mulheres russas viram o acesso negado.

"Um guarda do detector de metais pediu para ver o meu passaporte", disse uma das mulheres, de 31 anos, que trabalha como jornalista e está na França há cinco meses, tendo deixado a Rússia "por causa da guerra".

Ao inspecionar o documento, o guarda informou que ela não poderia passar, disse a mulher, que pediu para não ser identificada, à AFP.

Outro guarda também negou a sua entrada e deu como motivo o facto desta ser russa.

Contactado pela AFP, o Ministério da Defesa confirmou na segunda-feira que tinha, de facto, dado "acesso restrito às instalações militares a cidadãos russos" por causa da invasão.

Refira-se que o castelo também abriga parte dos arquivos históricos das forças armadas francesas, cujo acesso é restrito.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.