Dois dos três reclusos que fugiram do estabelecimento prisional de Caxias, Oeiras, foram detidos em Madrid, no domingo, com documentos de identificação falsos, disse à Lusa fonte da polícia nacional espanhola. A mesma fonte adiantou que os dois reclusos, de nacionalidade chilena, ficaram sob custódia do Tribunal Superior de Justiça.

 Após uma primeira informação avançada à Renascença pelo sub-director da Direcção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais, Paulo Moimenta de Carvalho, de que tinha sido capturado um dos três reclusos que fugiram este fim-de-semana do Estabelecimento Prisional de Caxias, em Lisboa, o jornal Expresso tinha adiantado já a informação de que que também o segundo preso de nacionalidade chilena tinha sido detido e que ambos foram encontrados pelas autoridades no aeroporto de Madrid.
Ontem três detidos fugiram no início da madrugada do estabelecimento prisional de Caxias. A fuga ocorreu por volta da 01:00 da madrugada de domingo e os evadidos foram identificados como sendo dois cidadãos chilenos e um português  presos preventivamente por furto e roubo. Os dois cidadãos chilenos são arguidos no mesmo processo.
Sobre o preso português que também fugiu da prisão de Caxias ainda não foram adiantadas informações.
A fuga gerou uma troca de acusações entre a Associação Sindical de Chefias do Corpo da Guarda Prisional que considerou que a evasão tinha sido fruto da “dramática falta de guardas prisionais” e a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais emitiu um comunicado a esclarecer esclarecer que "a Torre 7 e que a Torre 4, que ficam do lado e na proximidade do local por onde se verificou a evasão, se encontravam ativas, portanto com os elementos de vigilância no seu local de trabalho”.
[Notícia atualizada às 13:44]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.