Segundo a agência de notícias espanhola EFE, que teve acesso ao rascunho da intervenção de Jean-Claude Juncker, este vai propor uma polícia comunitária costeira, que permita que as autoridades nacionais tenham apoio da CE no terreno.

Por outro lado, o presidente da CE vai defender medidas para que o euro seja também a moeda das operações financeiras internacionais, de forma a alterar o paradigma que estabelece que o mercado de transações é realizado em dólares.

Juncker não vai mencionar qualquer líder ou partido europeu, mas planeia mostrar a sua preocupação pelo "tom duro" e a "linguagem de ódio" que está a ganhar terreno nas discussões políticas.

Outras medidas serão abordadas por Juncker: um acordo de livre comércio entre a UE e África, a iniciativa popular de abolição da mudança de hora e um novo regulamento para combater a manipulação eleitoral, relevante no contexto das eleições europeias, de acordo com a EFE.

A oito meses das eleições europeias de maio de 2019, o Parlamento Europeu debate o estado da UE com Juncker, que deverá sublinhar o impacto das medidas propostas pelo executivo comunitário nas suas dez áreas prioritárias e anunciar o que a CE pretende ainda alcançar antes do final do seu mandato.

O quarto e último discurso do político luxemburguês sobre o estado da UE tem início agendado para as 09:00 (08:00 em Lisboa), seguindo-se um debate com os eurodeputados, no qual se espera que estes façam um balanço dos resultados da “Comissão Juncker” até à data e definam as prioridades a alcançar pelo bloco comunitário antes de maio de 2019.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.