De acordo com a informação disponibilizada aos órgãos de comunicação social, o Comité Central reúne-se hoje para “analisar a situação política e social, os resultados das eleições autárquicas” de domingo e “tarefas do partido”.

As “principais conclusões” desta reunião vão ser apresentadas na quarta-feira, às 11:00, na sede do PCP, na Rua Soeiro Pereira Gomes, em Lisboa.

A Coligação Democrática Unitária (CDU) – composta pelo Partido Comunista Português (PCP), pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) e pela Associação Intervenção Democrática – obteve 8,21% dos votos nas autárquicas de domingo, ou seja, 410.584 votos, menos 78.505 votos do que em 2017, de acordo com o Ministério da Administração Interna.

A coligação conquistou ao PS os municípios de Barrancos (distrito de Beja) e Viana do Alentejo (Évora), mas perdeu seis autarquias para os socialistas, nomeadamente Loures – município recuperado ao PS em 2013– e três concelhos presididos desde 1976 pela CDU: Mora, Montemor-o-Novo (Évora) e Moita (Setúbal).

Jerónimo de Sousa admitiu, na noite de domingo, que os resultados ficaram “aquém dos objetivos colocados” pela CDU e que havia “muito para avaliar”.

Sobre as negociações para o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), o secretário-geral comunista disse reiteradamente ao longo de várias semanas, incluindo durante a campanha eleitoral, que é preciso fazer uma distinção entre as eleições e a discussões com o Governo, insistindo na necessidade de o executivo cumprir o que está inscrito no presente Orçamento do Estado, viabilizado com o PCP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.