A Coreia do Norte disparou mais de 10 mísseis nesta quarta-feira, incluindo um que caiu perto das águas da Coreia do Sul, no que o presidente Yoon Suk-yeol disse ser "efetivamente uma invasão territorial".

Um míssil balístico de curto alcance cruzou a Linha do Limite Norte, a fronteira marítima entre os dois países, provocando um raro alerta para os moradores da ilha de Ulleungdo.

Este míssil terá caído a 26 km do sul da Linha do Limite Norte, outro a 57 km da cidade sul-coreana de Sokcho, na costa leste, e outro a 167 km de Ulleung.

Cerca de três horas depois, foi a vez do Sul disparar três mísseis terra-ar de precisão, por parte de aviões de guerra nas águas da sua costa leste.

Os disparos são uma escalada acentuada nas hostilidades em toda a península este ano, que já havia testemunhado 36 lançamentos de mísseis da Coreia do Norte – incluindo um míssil balístico que passou sobre o Japão.

De acordo com os sul-coreanos, esta foi a "primeira vez desde que a península foi dividida", no final das hostilidades da Guerra da Coreia em 1953, que um míssil norte-coreano caiu tão perto das águas territoriais do Sul.

Na terça-feira, refira-se, a Coreia do Norte alertou que a Coreia do Sul e os EUA pagariam "o preço mais horrível da história" se continuassem os exercícios militares conjuntos, vistos como uma ameaça velada ao uso de armas nucleares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.