"A história da reabilitação do Intendente mostra bem que, quando há vontade política, quando há ambição, quando se tem as políticas públicas certas, é possível transformar aquilo que se julga não poder ser transformado", declarou António Costa no final de uma curta sessão de inauguração da nova sede da Junta de Freguesia de Arroios.

Tendo ao seu lado o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), e a presidente da Junta de Freguesia de Arroios, Margarida Martins (PS), António Costa contou a história que deu origem à sua ideia de transferir provisoriamente o seu gabinete de presidente da Câmara de Lisboa da Praça do Município para o Largo do Intendente.

Perante cerca de uma centena de pessoas, o primeiro-ministro referiu, então, que teve essa ideia quando passou pelo Intendente durante uma procissão da Nossa Senhora da Saúde, na qual participou na qualidade de presidente da Câmara de Lisboa.

"Olhei para o espaço envolvente [do Largo do Intendente] e vi que era um espaço absolutamente extraordinário, apesar de estar então decadente e vazio. Percebi depois que, além da intervenção física, era preciso eliminar o estigma que tinha este território. E só havia uma forma de o fazer: Instalar aqui o gabinete do presidente da Câmara Municipal de Lisboa", justificou o líder do executivo.

De acordo com o primeiro-ministro, quase uma década depois, "a verdade é que o paradigma" do Intendente mudou.

"Muita gente julgava que eu vinha para aqui com um batalhão armado para fazer o varrimento da zona, mas não foi isso. Seguimos uma estratégia integrada, com intervenção no espaço edificado e com um projeto importante de intervenção social. Sinceramente, olhando para trás, ainda bem que vim àquela procissão da Nossa Senhora da Saúde", disse.

Antes, Fernando Medina fez o elogiou da obra de António Costa enquanto presidente da Câmara de Lisboa, sustentando mesmo que a atual equipa autárquica da capital ainda é "herdeira daquilo que se começou a fazer" entre 2007 e 2015 em matéria de reabilitação do espaço urbano.

"António Costa teve a arte e o engenho de perceber que se jogava aqui, no Intendente, uma nova política para uma cidade que estava caída, com um centro urbano desertificado. Essa intervenção no Intendente é bem o símbolo de uma atitude segundo a qual não há impossíveis em política. Hoje, Lisboa é uma cidade muito diferente", sustentou o presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.